1. O Senhor disse a Moisés: Repara que te constitui deus de Faraó; Aarão, teu irmão, será teu profeta. (ver nota)

2. Tu lhe dirás tudo o que eu te mando, e ele falará a Faraó, para que deixe partir do seu país os filhos de Israel.

3. Eu endurecerei o seu coração, e multiplicarei os meus sinais e os meus prodigios na terra do Egipto.

4. Faraó não vos ouvirá, mas eu estenderei a minha mão sobre o Egipto e farei sair do Egipto o meu exército, o meu povo, os filhos de Israel, por meio dos maiores juízos.

5. Os Egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando eu estender a minha mão sobre o Egipto, e fizer sair do meio deles os filhos de Israel.

6. Fizeram, pois, Moisés e Aarão como o Senhor tinha mandado; fizeram-no exactamente.

7. Moisés tinha oitenta anos, e Aarão oitenta e três, quando falaram a Faraó.

8. O Senhor disse a Moisés e a Aarão:

9. Quando Faraó vos disser: Fazei um prodígio-tu dirás a Aarão: Pega na tua vara, lança-a por terra diante de Faraó, e ela se converterá em serpente.

10. Tendo, pois, Moisés e Aarão ido à presença de Faraó, fizeram conforme o Senhor tinha ordenado: Aarão lançou por terra a vara diante de Faraó e dos seus servos, e ela converteu-se em serpente.

11. Mas Faraó chamou os sábios e os magos, e eles fizeram também coisas semelhantes por meio dos encantamentos egípcios e de certos segredos.

12. Lançaram por terra cada um deles as suas varas, as quais se converteram em dragões, mas a vara de Aarão devorou as varas deles. (ver nota)

13. Endureceu-se o coração de Faraó e não os ouviu, como o Senhor tinha dito.

14. O Senhor disse a Moisés: Obstinou-se o coração de Faraó; não quer deixar partir o (meu) povo.

15. Vai ter com ele pela manhã. Ele sairá (para ir) ao rio, e tu estarás em frente dele sobre a margem do rio, tomarás na tua mão a vara, que se converteu em dragão,

16. e lhe dirás: o Senhor Deus dos Hebreus enviou-me a ti para (te) dizer: Deixa sair o meu povo para que me ofereça sacrifícios no deserto. Até ao presente não quiseste ouvir.

17. Olha, pois, o que diz o Senhor: Nisto conhecerás que eu sou o Senhor: ferirei com a vara, que tenho na minha mão, a água do rio e ela se converterá em sangue.

18. Os peixes que há no rio morrerão, as águas se corromperão, e os Egípcios sentirão repugnância de a beber.

19. O Senhor disse também a Moisés; Dize a Aarão: Toma a tua vara, e estende a tua mão sobre as águas do Egipto, sobre os seus rios, ribeiros, lagoas, e todos os reservatórios de águas, para que se convertam em sangue; e haverá sangue em toda a terra do Egipto, tanto nos vasos de madeira, como nos de pedra.

20. Moisés e Aarão fizeram como o Senhor lhes mandará. (Aarão), levantando a vara, feriu a água do rio, na presença de Faraó e dos seus servos, e ela converteu-se em sangue.

21. Os peixes, que havia no rio, morreram, e o rio, corrompeu-se, e os Egípcios não podiam beber da água do rio, e houve sangue por toda a terra do Egípto.

22. Porém os magos do Egipto fizeram coisas semelhantes com os seus encantamentos, e o coração de Faraó endureceu-se, e não os ouviu, como o Senhor tinha predito. (ver nota)

23. (Faraó) voltou-lhes as costas, entrou em sua casa e não aplicou o seu coração (a estas coisas) ainda desta vez.

24. Todos os Egípcios cavaram nos arredores do rio para encontrar água potável, porque não podiam beber da água do rio

25. Passaram-se (entretanto) sete dias, depois que o Senhor feriu o rio.





“O demônio é forte com quem o teme, mas é fraquíssimo com quem o despreza.” São Padre Pio de Pietrelcina