1. Ao mestre do coro. Maskil De Davide,

2. depois que Doeg Idumeu foi informar Saul, dizendo: Davide entrou em casa de Aquimeleque.

3. Por que te glorias da tua malícia, ó infame prepotente? A toda a hora

4. maquinas a perdição, a tua língua é como navalha afiada, ó artífice de enganos. (ver nota)

5. Amas mais o mal que o bem, a mentira mais do que dizer o que é justo.

6. Amas todas as palavras perniciosas, ó língua enganadora!

7. Por isso Deus te destruirá, te afastará para sempre, te arrancará da tua tenda e te desarreigará da terra dos vivos.

8. Ve-lo-ão os justos e temerão, e dele se rirão dizendo:

9. Eis o homem que não tomou a Deus por sua fortaleza, mas que esperou na multidão das suas riquezas e se reforçou nos seus crimes."

10. Eu, porém, sou como a oliveira verdejante na casa de Deus; confio na misericórdia de Deus para sempre.

11. Louvar-te-ei (Senhor) eternamente, porque actuaste, e pregarei o teu nome diante dos teus santos, porque é bom.





“Onde não há obediência, não há virtude. Onde não há virtude, não há bem, não há amor; e onde não há amor, não há Deus; e sem Deus não se chega ao Paraíso. Tudo isso é como uma escada: se faltar um degrau, caímos”. São Padre Pio de Pietrelcina