1. Visão de Abdias. Isto diz o Senhor Deus a Edom; Eis o que ouvimos do Senhor, que um mensageiro foi enviado a dizer às nações: Levantai-vos e partamos todos contra Edom, para o combater.

2. Tu vês (diz o Senhor a Edom) que te fiz pequenino entre as nações; és desprezível em extremo.

3. A soberba do teu coração transviou-te, a ti que habitas nas fendas dos rochedos, que fazes das alturas a tua morada, que dizes dentro do teu coração: Quem me fará cair por terra?

4. Ainda que te eleves, como a águia, e ponhas o teu ninho entre os astros, precipitar-te-ei de lá, diz o Senhor.

5. Se ladrões entrassem em tua casa ou salteadores de noite, não se teriam contentado com roubar o preciso (deixando o resto)? Se viessem a ti vindimadores (à tua vinha), não deixariam nada de rebusco?

6. Como esquadrinharam a Esaú (ou os Idumeus), investigaram os seus esconderijos!

7. Expulsaram-te até à fronteira; todos os teus aliados zombaram de ti; os (que se diziam) teus amigos subjugaram-te; os que comiam o teu pão, armaram-te laços à falsa fé. Edom não tem inteligência!

8. Acaso naquele dia não farei desaparecer os sábios da Idumeia, diz o Senhor, e a inteligência do monte de Esaú?

9. Os teus valentes, ó Teman, serão tomados de medo, de maneira que morrerá todo o varão sobre o monte de Esaú.

10. Por causa da mortandade, da violência que cometeste contra e teu irmão Jacob, cobrir-te-á a confusão, e perecerás para sempre.

11. No dia em que, diante de ti (sem te importares com isso), bárbaros faziam prisioneiro o seu exército, em que estrangeiros entravam pelas suas portas e deitavam sortes sobre Jerusalém, tu também eras como um deles.

12. Não te deleites contemplando teu irmão, no dia do seu infortúnio; não te alegres sobre os filhos de Judá no dia da sua perdição; não te portes com insolência no dia da angústia.

13. Não entres pelas portas (ou cidades) do meu povo no dia da sua ruína (para recolher despojos); não te alegres com os seus males no dia da sua desgraça; não deites a mão às suas riquezas, no dia da sua calamidade;

14. não te ponhas nas encruzilhadas para matar os (Hebreus) que fugirem; não entregues os restos dos seus habitantes no dia da tribulação.

15. Porque o dia (do castigo) do Senhor está perto para todas as nações, far-se-á contigo como tu fizeste (com o meu povo): (Deus) fará cair sobre a tua cabeça as tuas obras.

16. Assim como vós bebestes (sacrilegamente) sobre o meu santo monte, assim também beberão de continuo (do cálice da cólera divina) todas as (outras) nações (idólatras); beberão, sorverão, e virão a ser como se nunca tivessem sido.

17. Mas sobre o monte de Sião haverá escapados, será (um lugar) santo e a casa de Jacob despojará aqueles que a despojaram.

18. A casa de Jacob será um fogo, a casa de José uma chama, e a casa de Esaú palha seca, a qual será abrasada e devorada por aquelas, sem ficar resto algum da casa de Esaú, porque o Senhor assim o disse.

19. Os que habitam ao meio-dia ocuparão o monte (ou pais) de Esaú, e os que habitam na planície (tomarão) o país dos Filisteus; serão senhores do país de Efraim e do território de Samaria, e Benjamim possuirá Galaad.

20. Os dispersos (até então) do exército dos filhos de Israel ocuparão todas as terras dos Cananeus até Sarepta, e os deportados de Jerusalém, que estão em Sefarad, possuirão as cidades do meio-dia.

21. Subirão salvadores ao monte de Sião para julgar o monte de Esaú, e o império pertencerá ao Senhor.





“Recorramos a Jesus e não às pessoas, pois só ele nunca nos faltará.” São Padre Pio de Pietrelcina