1. Eis as palavras do livro que escreveu Baruch, filho de Nérias. filho de Maasias, filho de Sedecias. filho de Sedei, filho de Helcias, em Babilónia, (ver nota)

2. no ano quinto, a sete do mês. no tempo em que os Caldeus tomaram Jerusalém e a incendiaram.

3. Baruch leu as palavras deste livro aos ouvidos de Jeconias, filho de Joaquim, rei de Judá e aos ouvidos de todas as pessoas que tinham vindo ouvir ler este livro,

4. aos ouvidos dos grandes, dos príncipes reais, dos anciães e de todo o povo, que habitavam em Babilônia, junto do rio Sodi,

5. os quais, ouvindo-o. choravam, jejuavam e oravam na presença do Senhor,

6. Juntaram dinheiro conforme as posses de cada um.

7. e enviaram-no a Jerusalém, a Joaquim, filho de Helcias, filho de Salom, sacerdote, assim como aos outros sacerdotes e a todas as pessoas que se achavam com ele em Jerusalém,

8. Baruch tinha Já recuperado os utensílios do templo do Senhor, que haviam sido levados do templo, para os restituir à terra de Judá, a dez do mês de Sivan, utensílios de prata, que Sedecias filho de Josias, rei de Judá, mandara fazer (ver nota)

9. depois que Nabucodonosor rei de Babilônia, aprisionou Jeconias, os príncipes, todos os grandes e o povo da terra, e os levou de Jerusalém para Babilônia.

10. E disseram: Aí mandamos dinheiro; comprai com ele vítimas, para os holocaustos e sacrifícios de expiação, e incenso; preparai oblações e levai-as ao altar do Senhor nosso Deus:

11. Rogai-lhe pela vida de Nabucodonosor rei de Babilônia, e pela vida de Baltasar, seu filho, para que os seus dias sobre a terra sejam como os dias do céu.

12. Que o Senhor alumie os nossos olhos, a fim de que vivamos debaixo da sombra de Nabucodonosor. rei de Babilônia, e debaixo da sombra de Baltasar, seu filho, os sirvamos muitos dias e achemos graça na sua presença.

13. Orai também ao Senhor nosso Deus por nós mesmos, porque pecámos contra o Senhor nosso Deus, e o seu furor não se apartou de nós até este dia.

14. Lede este livro, que vos mandamos para ser lido em alta voz no templo do Senhor, no dia da Festa (dos tabernáculos) e nos dias sagrados.

15. Direis : Ao Senhor nosso Deus pertence a justiça, mas a nós a confusão do rosto, a nós, homens de Judá e habitantes de Jerusalém,

16. aos nossos reis, aos nossos príncipes, sacerdotes e profetas e aos nossos pais,

17. pois pecámos diante do Senhor,

18. não lhe quisemos estar sujeitos, não ouvimos a voz do Senhor nosso Deus, para andarmos segundo os preceitos que nos deu.

19. Desde o dia em que tirou nossos pais da terra do Egipto até hoje temos sido rebeldes ao Senhor nosso Deus, e, levianamente, não ouvimos a sua voz,

20. (Por isso) se nos têm pegado muitos males e a maldição que o Senhor predisse a Moisés, seu servo, quando tirou nossos pais da terra do Egipto, para nos dar a terra que mana leite e mel, como se vê no dia de hoje.

21. Não ouvimos a voz do Senhor nosso Deus, segundo todas as palavras dos profetas que nos enviou;

22. cada um de nós andou segundo o sentido e a inclinação do seu coração corrompido, a servir deuses estranhos, a praticar más obras diante dos olhos do Senhor nosso Deus.





“Que Maria sempre enfeite sua alma com as flores e o perfume de novas virtudes e coloque a mão materna sobre sua cabeça. Fique sempre e cada vez mais perto de nossa Mãe celeste, pois ela é o mar que deve ser atravessado para se atingir as praias do esplendor eterno no reino do amanhecer.” São Padre Pio de Pietrelcina