1. Salmo. De Asaf. Ó Deus, vieram as nações à tua herança contaminaram o teu santo templo, reduziram Jerusalém a um montão de ruínas.

2. Deram os cadáveres dos teus servos em pasto às aves do céu, as carnes dos teus santos aos animais da terra.

3. Derramaram o seu sangue como água à roda de Jerusalém, e não havia quem lhes desse sepultura.

4. Tornámo-nos o opróbrio dos nossos vizinhos, o escárnio e a mofa daqueles que nos rodeiam.

5. Até quando, Senhor? Permanecereis irado sempre? O teu zelo arderá sempre como o fogo?

6. Derrama a tua ira sobre as nações, que te não conhecem, e sobre os reinos que não invocam o teu nome.

7. Com efeito eles devoraram Jacob, e devastaram a sua morada.

8. Não recordes contra nós as culpas dos nossos antepassados, venha, quanto antes, ao nosso encontro a tua misericórdia, porque estamos reduzidos a grande miséria.

9. Ajuda-nos, ó Deus da nossa salvação, para glória do teu nome, livra-nos, e perdoa os nossos pecados, por amor do teu nome.

10. Para que hão-de dizer as gentes: "Onde está o Deus deles?" Seja notória entre as gentes, diante dos nossos olhos, a vingança do sangue dos teus servos, que tem sido derramado.

11. Chegue à tua presença o gemido dos cativos; com o poder do teu braço livra os condenados à morte.

12. Retribui aos nossos vizinhos, sete vezes no seu seio, o opróbrio que eles te fizeram, Senhor.

13. Nós, porém, teu povo e ovelhas de teu pasto, nós te glorificaremos para sempre; de geração em geração publicaremos os teus louvores.





“Se quisermos colher é necessário não só semear, mas espalhar as sementes num bom campo. Quando as sementes se tornarem plantas, devemos cuidá-las para que as novas plantas não sejam sufocadas pelas ervas daninhas.” São Padre Pio de Pietrelcina