1. No primeiro dia da semana, foram muito cedo ao sepulcro, levando os aromas que tinham preparado.

2. Encontraram revolvida a pedra do sepulcro,

3. Entrando, não encontraram o corpo do Senhor Jesus.

4. Aconteceu que, estando consternadas por isso, eis que apareceram junto delas dois homens com vestidos resplandecentes.

5. Estando elas medrosas e com os olhos no chão, disseram-lhes: "Porque buscais entre os mortos o que está vivo?

6. Ele não está aqui, ressuscitou. Lembrai-vos do que ele vos disse, quando estava na Galileia:

7. Importa que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, seja crucificado, ressuscite ao terceiro dia."

8. Então lembraram-se das suas palavras.

9. Tendo voltado do sepulcro, contaram todas estas coisas aos onze, e a todos os outros.

10. As que referiam aos Apóstolos estas coisas eram Maria Madalena, Joana, Maria, mãe de Tiago, e as outras, que estavam com elas.

11. Mas estas palavras pareciam-lhes como que um delírio, e não lhes deram crédito.

12. Todavia Pedro, levantando-se, correu ao sepulcro. Inclinando-se, viu só os lençóis ( por terra), e retirou-se, admirando consigo mesmo o que sucedera.

13. No mesmo dia, caminhavam dois deles para uma aldeia, chamada Emaús, que estava à distância de Jerusalém sessenta estádios.

14. Iam falando um com o outro sobre tudo o que se tinha passado.

15. discorrendo entre si, aproximou-se deles o próprio Jesus, e caminhou com eles.

16. Os seus olhos, porém, estavam como que fechados, de modo que não o reconheram.

17. Ele disse-Ihes: "Que conversas são essas que ides tendo pelo caminho, porque estais tristes?

18. Respondeu um deles, chamado Cléofas: "Só tu és forasteiro em Jerusalém, e não sabes o que ali se tem passado estes dias?"

19. Ele disse-lhes: "Que é?" Responderam : "Sobre Jesus Nazareno, que foi um profeta, poderoso em obras e em palavras, diante de Deus e de todo o povo;

20. e de que maneira os nossos príncipes dos sacerdotes e os nossos magistrados o entregaram para ser condenado à morte, e o crucificaram.

21. Ora nós esperávamos que ele fosse o que havia de resgatar Israel; depois de tudo isto, é já hoje o terceiro dia, depois que estas coisas sucederam.

22. É bem verdade que algumas mulheres, das que estavam entre nós, nos sobressaltaram, porque, ao amanhecer, foram ao sepulcro,

23. e, não tendo encontrado o seu corpo, voltaram dizendo que tinham tido uma aparição de anjos, os quais disseram que ele está vivo.

24. Alguns dos nossos foram ao sepulcro e acharam que era assim como as mulheres tinham dito; mas não o encontraram.

25. Então Jesus disse-lhes: "Ó estultos e tardos do coração para crer tudo o que anunciaram os profetas

26. Porventura não era necessário que o Cristo sofresse tais coisas, para entrar na sua glória?"

27. Em seguida, começando por Moisés, e discorrendo por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se encontrava dito em todas as Escrituras.

28. Aproximaram-se da aldeia, para onde caminhavam. Jesus fingiu que ia para mais longe.

29. Mas eles o constrangeram, dizendo: "Fica connosco, porque faz-se tarde, e o dia declina." Entrou para ficar com eles.

30. Estando com eles à mesa, tomou o pão, o benzeu, partiu, e lho deu.

31. Abriram-se os seus olhos, e reconheceram-no; mas ele desapareceu.

32. Disseram então um para o outro: "Não é verdade que nós sentíamos abrasar-se-nos o coração, quando ele nos falava pelo caminho, e nos explicava as Escrituras?"

33. Levantando-se na mesma hora, voltaram para Jerusalém. Encontraram juntos os onze, e os que estavam com eles,

34. os quais diziam : "Na verdade o Senhor ressuscitou e apareceu a Simão."

35. E eles contaram também o que lhes tinha acontecido no caminho, e como o tinham reconhecido ao partir o pão.

36. Enquanto falavam nisto, apresentou-se Jesus no meio deles, e disse-lhes: "A paz seja convosco."

37. Mas eles, turbados e espantados, julgavam ver algum espirito.

38. Jesus disse-lhes: "Porque estais turbados, e que pensamentos são esses que vos sobem aos corações?

39. Olhai para as minhas mãos e pés, porque sou eu mesmo; apalpai, e vede, porque um espírito não tem carne, nem ossos, como vós vedes que eu tenho."

40. Dito isto, mostrou-lhes as mãos e os pés.

41. Mas, não crendo eles ainda e estando fora de si com a alegria que sentiam, perguntou-lhes: "Tendes aqui alguma coisa que se coma?"

42. Eles apresentaram-lhe uma posta de peixe assado e um favo de mel.

43. Tendo-os tomado comeu-os à vista deles.

44. Depois disse-Ihes: "Isto é que eu vos dizia, quando ainda estava convosco, que era necessário que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, nos profetas e nos salmos."

45. Então abriu-lhes o entendimento, para compreenderem as Escrituras;

46. e disse-lhes: "Assim está escrito, e assim era necessário que o Cristo padecesse e ressuscitasse dos mortos ao terceiro dia,

47. e que em seu nome se pregasse a penitência e a remissão dos pecados a todas as nações, começando por Jerusalém.

48. Vós sois as testemunhas destas coisas.

49. Eu vou mandar sobre vós o que meu Pai prometeu. Entretanto permanecei na cidade, até que sejais revestidos da virtude do alto."

50. Depois levou-os até cerca de Betânia, e levantando as suas mãos, os abençoou,

51. Enquanto os abençoava, separou-se deles, e elevava-se ao céu.

52. Eles, depois de se haverem prostrado diante dele, voltaram para Jerusalém com grande júbilo.

53. e estavam continuamente no templo, louvando a Deus.





“Quando o dia seguinte chegar, ele também será chamado de hoje e, então, você pensará nele. Tenha sempre muita confiança na Divina Providência.” São Padre Pio de Pietrelcina