1. Depois disto, o Senhor escolheu outros setenta e dois mandou-os dois a dois adiante de si por todas as cidades e lugares onde ele estava para ir.

2. Disse-lhes: "Grande é na verdade a messe, mas os operários poucos. Rogai, pois, ao dono da messe que mande operários para a sua messe.

3. Ide; eis que eu vos envio como cordeiros entre lobos.

4. Não leveis bolsa, nem alforge, nem calçado, e pelo caminho não saudeis ninguém.

5. Na casa em que entrardes, dizei primeiro: A paz seja nesta casa.

6. Se ali houver algum filho de paz, repousará sobre ele a vossa paz; de contrário, tornará para vós.

7. Permanecei na mesma casa, comendo e bebendo do que tiverem; porque o operário é digno da sua recompensa. Não andeis de casa em casa.

8. Em qualquer cidade em que entrardes, e vos receberem, comei o que vos puserem diante;

9. curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: Está próximo de vós o reino de Deus.

10. Mas, em qualquer cidade em que entrardes, e vos não receberem, saindo para as praças dizei; (ver nota)

11. Até o pó da vossa cidade, que se nos pegou aos pés, sacudimos contra vós; não obstante isto, sabei que o reino de Deus está próximo.

12. Digo-vos que, naquele dia, haverá menos rigor para Sodoma que para essa cidade.

13. Ai de ti, Corozain! Ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e em Sidónia se tivessem operado as maravilhas que se têm operado em vós, há muito tempo que teriam feito penitência, cobertas de cilício, e jazendo sobre a cinza.

14. Por isso haverá no dia de juízo menos rigor para Tiro e Sidónia que para vós.

15. E tu, Cafarnaum, que te elevas até ao céu, serás abatida até ao inferno (Is. 14, 13-15).

16. O que vos ouve, a mim ouve, o que vos rejeita, a mim rejeita, e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou."

17. Os setenta e dois voltaram alegres, dizendo: "Senhor, até os demônios se nos submetem em virtude do teu nome."

18. Ele disse-lhes: "Eu via Satanás cair do céu como um raio. (ver nota)

19. Eis que vos dei poder de caminhar impunemente sobre serpentes e escorpiões, e de vencer toda a força do inimigo, e nada vos fará dano.

20. Contudo não vos alegreis porque os espíritos maus vos estão sujeitos, mas alegrai-vos porque os vossos nomes estão escritos nos céus."

21. Naquela mesma hora Jesus exultou no Espírito Santo, e disse: "Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e aos prudentes, e as revelaste aos pequeninos. Assim é, ó Pai, porque assim foi do teu agrado. (ver nota)

22. Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém sabe quem é o Filho, senão o Pai, nem quem é o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho quiser revelar."

23. Depois, tendo-se voltado para seus discípulos, disse: "Ditosos os olhos que vêem o que vós vedes.

24. Porque eu vos afirmo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vós vedes, e não viram, ouvir o que vós ouvis, e não o ouviram."

25. Eis que se levantou um doutor da lei, e lhe disse para o tentar: "Mestre, que devo eu fazer para alcançar a vida eterna?"

26. Jesus respondeu-lhe: "O que é que está escrito na lei? Como lês tu?"

27. Ele respondeu: "Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todas as tuas forças e com todo o teu entendimento, e o teu próximo como a ti mesmo."

28. Jesus disse-lhe: "Respondeste bem ; faz isso, e viverás (Lv. 18, 5)."

29. Mas ele, querendo justificar-se, disse a Jesus: "E quem é o meu próximo?"

30. Jesus, retomando a palavra, disse; "Um homem descia de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos dos ladrões, que o despojaram, e, tendo-lhe feito feridas, retiraram-se, deixando-o meio morto.

31. Ora aconteceu que descia pelo mesmo caminho um sacerdote, o qual, quando o viu, passou de largo.

32. Igualmente um levita, chegando perto daquele lugar, e vendo-o, passou adiante.

33. Um samaritano, porém, que ia de viagem, chegou perto dele, e, quando o viu, moveu-se de compaixão.

34. Aproximou-se, ligou-lhe as feridas, lançando nelas azeite e vinho; e, pondo-o sobre o seu jumento, levou-o a uma estalagem, e teve cuidado dele.

35. No dia seguinte tirou dois dinheiros, deu-os ao estalajadeiro, e disse-lhe: Tem cuidado dele; quanto gastares a mais, eu to satisferei quando voltar.

36. Qual destes três te parece que foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos ladrões?"

37. Ele respondeu: "O que usou com ele de misericórdia." Então Jesus disse-lhe: "Vai, e faz tu o mesmo."

38. Indo em viagem, entrou em uma aldeia, e uma mulher, chamada Marta, recebeu-o em sua casa.

39. Esta tinha uma irmã, chamada Maria que, sentada aos pés do Senhor, ouvia a sua palavra.

40. Marta, porém, afadigava-se muito na continua lida da casa. Aproximando-se, disse: "Senhor, não se te dá que minha irmã me tenha deixado só com o serviço da casa? Diz-lhe, pois, que me ajude."

41. O Senhor, respondeu-lhe: "Marta, Marta, tu afadigas-te e andas inquieta com muitas coisas.

42. Entretanto uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte, que lhe não será tirada."





“Amemos ao próximo. Custa tão pouco querer bem ao outro.” São Padre Pio de Pietrelcina