1. Se se mover pleito entre alguns, e houver recurso para os juízes estes darão a palma da justiça ao que reconhecerem que é justo, e condenarão de impiedade o (que reconhecerem que é) ímpio.

2. Se virem que aquele que pecou merece açoutes, fá-lo-ão deitar por terra, e o farão açoutar na sua presença. O número de golpes será segundo a medida do pecado,

3. contanto todavia que não ultrapassem o número de quarenta, para que teu irmão se não retire aviltado de diante de teus olhos.

4. Não atarás a boca ao boi que debulha na eira o grão das tuas colheitas.

5. Quando morarem irmãos juntamente, e um deles morrer sem filhos, a mulher do defunto não casará com um estranho, mas o irmão do defunto a receberá, e suscitará descendência a seu irmão;

6. ao filho primogênito que tiver dela porá o nome do seu irmão, para que o nome deste não se extinga em Israel.

7. Porém se ele não quiser receber a mulher do seu irmão, a qual lhe é devida segundo a lei, irá esta mulher à porta da cidade, recorrerá aos anciães e lhes dirá: O irmão de meu marido não quer fazer reviver o nome de seu irmão em Israel, não quer receber-me por mulher.

8. Eles o farão logo comparecer e o interrogarão. Se responder: Eu não a quero receber por mulher —

9. a mulher se aproximará dele diante dos anciães, tirar-Ihe-á o sapato do pé, cuspir-lhe-á na cara e dirá: Assim será feito ao homem que não edifica a casa de seu irmão.

10. A casa de tal homem será chamada em Israel a casa de descalçado.

11. Quando se levantar alguma pendência entre dois homens, e um começar a renhir contra o outro, se a mulher de um, querendo livrar seu marido da mão do que o agride, estender a mão e lhe pegar pelas partes vergonhosas,

12. cortar-Ihe-ás a mão; não te moverás de compaixão alguma por ela. (ver nota)

13. Não terás no saco pesos diversos, maior e menor;

14. nem haverá em tua casa dois efas, um maior e outro mais pequeno.

15. Terás um peso justo e verdadeiro, terás um efa justo e verdadeiro, a fim de que vivas muito tempo na terra que o Senhor teu Deus te der.

16. Com efeito, o Senhor teu Deus abomina quem faz estas coisas, quem comete uma injustiça.

17. Lembra-te do que te fez Amalec no caminho, quando saíste do Egipto,

18. de como ele, sem temor algum de Deus, te saiu ao encontro e matou os últimos do teu exército, que cansados ficavam atrás, quando tu estavas consumido de fome e de fadiga.

19. Quando, pois, o Senhor teu Deus te tiver dado descanso, e tiver sujeitado todas as nações circunvizinhas na terra, que te prometeu, apagarás o seu nome de debaixo do céu. Olha, não o esqueças.





“Uma só coisa é necessária: estar perto de Jesus”. São Padre Pio de Pietrelcina