1. Por isso, quem quer que sejas, ó homem que julgas, és inexcusável, porque, naquilo mesmo em que julgas a outro, a ti mesmo te condenas, visto que fazes as mesmas coisas que julgas.

2. Ora nós sabemos que o juízo de Deus é segundo a verdade contra aqueles que fazem tais coisas.

3. E tu, ó homem, que julgas aqueles que fazem tais coisas e (também) as fazes, julgas porventura que escaparás ao juízo de Deus?

4. Ou desprezaste as riquezas da sua bondade, paciência e longanimidade? Ignoras que a bondade de Deus te convida à penitência?

5. Mas com a tua dureza e coração impenitente acumulas para ti um tesouro de ira para o dia da ira e da manifestação do justo juízo de Deus,

6. que há-de dar a cada um segundo as suas obras: (ver nota)

7. (dará) a vida eterna aos que, perseverando na prática do bem, buscam a glória, a honra e a imortalidade;

8. (dará) ira e indignação aos que são pertinazes, indóceis à verdade, mas dóceis à injustiça,

9. (Sim), tribulação e angústia para a alma de todo o homem que faz o mal, do judeu primeiramente, e depois do grego,

10. mas glória, honra e a paz a todo aquele que faz o bem, ao judeu primeiramente, e depois ao grego,

11. porque, diante de Deus, não há acepção de pessoas.

12. Porque todos os que sem lei pecaram, sem lei perecerão, e todos os que com a lei pecaram, pela lei serão julgados. (ver nota)

13. De fato, não são justos diante de Deus os que ouvem a lei, mas os que observam a lei é que serão justificados.

14. Com efeito, quando os gentios, que não têm lei (escrita), fazem naturalmente as coisas que são da lei, esses, não tendo lei, a si mesmos servem de lei (ver nota)

15. e mostram que o que a lei ordena está escrito nos seus corações, dando-lhes testemunho a sua própria consciência e os pensamentos, que os acusam (se fizerem o mal) ou defendem (se fizerem o bem) .

16. Isto ver-se-á naquele dia em que Deus, segundo o meu Evangelho, há-de julgar as coisas ocultas dos homens por meio de Jesus Cristo. (ver nota)

17. Tu, que tens o nome de judeu, e repousas sobre a lei e te glorias em Deus,

18. que conheces a sua vontade, e, instruído pela lei, distingues o que é mais proveitoso,

19. e te vanglorias de ser guia dos cegos, luz daqueles que estão nas trevas,

20. doutor dos ignorantes, mestre das crianças, tendo na lei a regra da ciência a da verdade...

21. tu, pois, que ensinas os outros, não te ensinas a ti mesmo! Tu, que pregas que se não deve furtar, furtas!

22. Tu, que dizes que se não deve cometer adultério, és adúltero! Tu, que abominas os ídolos, cometes o sacrilégio!

23. Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus, transgredindo a lei !

24. Em realidade, o nome de Deus por causa de vós é blasfemado entre as gentes (Is. 62, 6), como está escrito.

25. A circuncisão aproveita, é verdade, se guardares a lei; mas, se fores transgressor da lei, com a tua circuncisão tornas-te um incircunciso. (ver nota)

26. Se, pois, um incircunciso guardar os preceitos da lei, não será, apesar da sua incircuncisão, considerado como circunciso? (ver nota)

27. E aquele que é incircunciso natural, cumprindo a lei (não) te julgará a ti que, com a letra (da lei) e com a circuncisão, és transgressor da lei.

28. Porque não é judeu o que o é (apenas) externamente, nem é circuncisão a que aparece na carne,

29. mas é (verdadeiro) judeu aquele que o é no interior e a (verdadeira) circuncisão é a do coração, segundo o espírito e não segundo a letra; este (verdadeiro) judeu terá o seu louvor não dos homens, mas de Deus.





“O passado não conta mais para o Senhor. O que conta é o presente e estar atento e pronto para reparar o que foi feito.” São Padre Pio de Pietrelcina