1. A sabedoria vale mais do que a força, e o homem prudente mais do que o robusto.

2. Ouvi, pois, ó reis, e entendei, aprendei, ó vós que governais os confins da terra.

3. Dai ouvidos (às minhas palavras), vós que governais os povos, e que vos gloriais de terdes debaixo de vós muitas nações.

4. Com efeito, o poder foi-vos dado pelo Senhor, e a força pelo Altíssimo, o qual examinará as vossas obras, e esquadrinhará os vossos pensamentos:

5. De facto, sendo ministros do reino, não julgastes com rectidão, nem guardastes a lei nem andastes conforme a vontade de Deus.

6. Ele vos aparecerá de um modo temeroso, e repentinamente, porque aqueles que governam serão julgados com extremo rigor.

7. Aos pequenos se perdoa por compaixão, mas os poderosos serão poderosamente atormentados.

8. O Senhor de todos não teme ninguém, nem respeita a grandeza, seja de quem for, porque ele fez tanto o pequeno como o grande, e tem igualmente cuidado de todos.

9. Mas os mais fortes serão submetidos a um rigoroso julgamento.

10. A vós, pois, ó reis, é que são dirigidos estes meus discursos, para que aprendais a sabedoria e não caiais.

11. Porque aqueles que tiverem guardado santamente as coisas santas, serão santificados, e os que as tiverem aprendido, acharão com que responder.

12. Ansiai, pois, pelas minhas palavras, desejai-as, e tereis instrução.

13. Brilhante é a sabedoria, e nunca se empana; facilmente é vista por aqueles que a amam, e encontrada pelos que a buscam.

14. Ela antecipa-se a dar-se a conhecer aos que a desejam, de tal sorte que se lhes patenteia primeiro.

15. Aquele que se levanta de manhã cedo para a possuir não terá trabalho, porque a encontrará sentada à sua porta.

16. Pensar na sabedoria é prudência consumada; e aquele que velar por causa dela depressa estará livre de cuidados.

17. Porque ela mesma anda por todas as partes, buscando os que são dignos dela, e amigavelmente se lhes mostra nos caminhos, e em todos os seus pensamentos se faz encontradiça com eles.

18. O principio da sabedoria é um desejo sincero da instrução, (ver nota)

19. e o cuidado da instrução (implica) amor (por ela); ora o amor é a observância das suas leis; a observância destas leis é a garantia da imortalidade (com Deus);

20. (ora) a imortalidade dá um lugar junto de Deus:

21. desta forma o desejo da sabedoria conduz à realeza.

22. Se vós, pois, ó reis dos povos, vos comprazeis nos tronos e nos ceptros, honrai a sabedoria, para reinardes eternamente.

23. Amai a luz da sabedoria todos vós que presidis aos povos.

24. Eu vos direi o que é a sabedoria, e qual a sua origem, e não vos encobrirei os segredos (de Deus). Investigarei desde o princípio do seu nascimento, e porei às claras o seu conhecimento, e não me afastarei da verdade.

25. Não acompanharei com a inveja devoradora: ela nada tem de comum com a sabedoria.

26. A multidão dos sábios é a salvação do mundo, e um rei sábio a prosperidade do seu povo.

27. Recebei, pois, a instrução por meio das minhas palavras, e tirareis proveito disso.





“Se você tem dúvidas sobre a fé é exatamente porque tem fé!” São Padre Pio de Pietrelcina