1. O insensato (vive) de esperanças quiméricas; os imprudentes edificam sobre os sonhos.

2. Como aquele que procura agarrar uma sombra ou perseguir o vento, assim é o que se prende a visões enganadoras.

3. Isto segundo aquilo, eis o que se vê nos sonhos: é como a imagem de um homem diante dele próprio.

4. Que coisa pura poderá vir do impuro? Que verdade pode vir da mentira?

5. A adivinhação do erro, os augúrios mentirosos e os sonhos dos maus, tudo isso não passa de vaidade.

6. O teu coração, como o de uma mulher que está de parto, sofrerá imaginações. A menos que o Altíssimo te envie uma visão, não detenhas nelas teu pensamento,

7. pois os sonhos fizeram errar muita gente, que pecou porque neles punham sua esperança;

8. a palavra da lei se cumpre integralmente, e a sabedoria tornar-se-á evidente na boca do homem fiel.

9. Que sabe aquele que não foi experimentado? O homem de grande experiência tem inúmeras idéias; aquele que muito aprendeu fala com sabedoria.

10. Aquele que não tem experiência pouca coisa sabe, mas o que passou por muitas dificuldades desenvolve a prudência.

11. Que sabe aquele que não foi tentado? O que foi enganado abundará em sagacidade.

12. Vi muitas coisas em minhas viagens, muitos costumes diferentes.

13. Algumas vezes encontrei-me em perigo de morte, mas fui libertado pela graça de Deus.

14. O espírito daqueles que temem a Deus será procurado, será abençoado quando Deus olhar para eles.

15. Com efeito, sua esperança está posta naquele que os salva, e os olhos de Deus estão voltados para aqueles que o amam.

16. Aquele que teme ao Senhor não tremerá; de nada terá medo, pois o próprio Senhor é sua esperança.

17. Feliz a alma do que teme ao Senhor.

18. Para quem olha ela, e quem é a sua força?

19. Os olhos do Senhor estão voltados para aqueles que o temem; ele é um poderoso protetor, um sólido apoio, um abrigo contra o calor, uma tela contra o ardor do meio-dia,

20. um sustentáculo contra os choques, um amparo contra a queda. Ele eleva a alma, ilumina os olhos; dá saúde, vida e bênção.

21. A oferenda daquele que sacrifica um bem, mal adquirido, é maculada. E os insultos dos injustos não são aceitos por Deus.

22. O Senhor (só se dá) àqueles que o aguardam no caminho da verdade e da justiça.

23. O Altíssimo não aprova as dádivas dos injustos, nem olha para as ofertas dos maus; a multidão dos seus sacrifícios não lhes conseguirá o perdão de seus pecados.

24. Aquele que oferece um sacrifício arrancado do dinheiro dos pobres, é como o que degola o filho aos olhos do pai.

25. O pão dos indigentes é a vida dos pobres; aquele que lho tira é um homicida.

26. Quem tira de um homem o pão de seu trabalho, é como o assassino do seu próximo.

27. O que derrama o sangue e o que usa de fraude no pagamento de um operário são irmãos:

28. um constrói, o outro destrói. O que lhes resta senão a fadiga?

29. Um ora, o outro maldiz; de qual ouvirá Deus a voz?

30. Se aquele que se lava após ter tocado num morto, torna a tocá-lo, de que lhe serve ter-se lavado?

31. Assim se porta o homem que jejua por causa de seus pecados, e torna a cometê-los: de que lhe serve ter-se humilhado? Quem ouvirá a sua prece?

Bíblia Ave Maria - Todos os direitos reservados.



Livros sugeridos


“Todas as pessoas que escolhem a melhor parte (viver em Cristo) devem passar pelas dores de Cristo; algumas mais, algumas menos…” São Padre Pio de Pietrelcina

Newsletter

Receba as novidades, artigos e noticias deste portal.