1. De amigo não te tornes inimigo de teu próximo, pois o malvado terá por sorte a vergonha e a ignomínia, como todo pecador invejoso e de língua fingida.

2. Não te eleves como um touro nos pensamentos de teu coração, para não suceder que a tua loucura quebre a tua força,*

3. devore as tuas folhas, apodreça os teus frutos e te deixe como uma árvore seca no deserto.

4. Pois uma alma perversa é a perda de quem a possui; ele o tornará motivo de zombaria para seus inimigos, e irá conduzi-lo à sorte dos ímpios.

5. Uma boa palavra multiplica os amigos e apazigua os inimigos; a linguagem elegante do homem virtuoso é uma opulência.*

6. Dá-te bem com muitos, mas escolhe para conselheiro um entre mil.

7. Se adquirires um amigo, adquire-o na provação, não confies nele tão depressa.

8. Pois há amigos em certas horas que deixarão de o ser no dia da aflição.

9. Há amigo que se torna inimigo, e há amigo que desvendará ódios, querelas e disputas;

10. há amigo que só o é para a mesa, e que deixará de o ser no dia da desgraça.

11. Se teu amigo for constante, ele te será como um igual, e agirá livremente com os de tua casa.*

12. Se se rebaixa em tua presença e se retrai diante de ti, terás aí, na união dos corações, uma excelente amizade.*

13. Separa-te daqueles que são teus inimigos, e fica de sobreaviso diante de teus amigos.

14. Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro.

15. Nada é comparável a um amigo fiel, o ouro e a prata não merecem ser postos em paralelo com a sinceridade de sua fé.*

16. Um amigo fiel é um remédio de vida e imortalidade; quem teme o Senhor, achará esse amigo.

17. Quem teme o Senhor terá também uma excelente amizade, pois seu amigo lhe será semelhante.

18. Meu filho, aceita a instrução desde teus jovens anos; ganharás uma sabedoria que durará até a velhice.

19. Vai ao encontro dela, como aquele que lavra e semeia, espera pacientemente seus excelentes frutos,

20. terás alguma pena em cultivá-la, mas, em breve, comerás os seus frutos.

21. Quanto a sabedoria é amarga para os ignorantes! O insensato não permanecerá junto a ela.

22. Ela lhes será como uma pesada pedra de provação, eles não tardarão a desfazer-se dela.*

23. Pois a sabedoria que instrui justifica o seu nome, não se manifesta a muitos; mas, naqueles que a conhecem, persevera, até tê-los levado à presença de Deus.

24. Escuta, meu filho, recebe um sábio conselho, não rejeites minha advertência.

25. Mete os teus pés nos seus grilhões, e teu pescoço em suas correntes.

26. Abaixa teu ombro para carregá-la, não sejas impaciente em suportar seus liames.

27. Vem a ela com todo o teu coração. Guarda seus caminhos com todas as tuas forças.

28. Segue-lhe os passos e ela se dará a conhecer; quando a tiveres abraçado, não a deixes.

29. Pois acharás finalmente nela o teu repouso. E ela se transformará para ti em um motivo de alegria.

30. Seus grilhões serão uma proteção, um firme apoio; suas correntes te serão um adorno glorioso;*

31. pois nela há uma beleza que dá vida, e seus liames são ligaduras que curam.

32. Como ele te revestirás como de uma vestimenta de glória, e a porás sobre ti como uma coroa de júbilo.

33. Meu filho, se me ouvires com atenção, serás instruído; se submeteres o teu espírito, tu te tornarás sábio.

34. Se me deres ouvido, receberás a doutrina. Se gostares de ouvir, adquirirás a sabedoria.

35. Permanece na companhia dos doutos anciãos, une-te de coração à sua sabedoria, a fim de que possas ouvir o que dizem de Deus, e não te escapem suas louváveis máximas.

36. Se vires um homem sensato, madruga para ir ter com ele, desgaste o teu pé o limiar de sua porta.

37. Concentra teu pensamento nos preceitos de Deus, sê assíduo à meditação de seus mandamentos. Ele próprio te dará um coração, e a sabedoria que desejas te será concedida.

Bíblia Ave Maria - Todos os direitos reservados.

6,2. No grego – não te entregues aos caprichos da paixão, para que não sejas despedaçado como por um touro. Devoras tuas folhas, corrompes teus frutos e só deixarás de ti uma árvore seca.

6,5. É uma opulência: no grego – multiplica aqueles que vivem em boa concórdia.

6,11. No grego: No tempo de tua prosperidade ele te será semelhante.

6,12. No grego: se estiveres humilhado, ele se voltará contra ti e se esconderá de ti.

6,15. O ouro e a prata: no grego – não há peso que o possa igualar.

6,22. Pedra de provação: halteres para medir a própria força.

6,30. No grego: uma joia de ouro acha-se sobre ela, e suas faixas são tecidas de jacintos.




Livraria Católica

Conheça esses e outros livros em nossa livraria.



“Subamos sem nos cansarmos, sob a celeste vista do Salvador. Distanciemo-nos das afeições terrenas. Despojemo-nos do homem velho e vistamo-nos do homem novo. Aspiremos à felicidade que nos está reservada.” São Padre Pio de Pietrelcina