1. Amasias tinha vinte e cinco anos, quando começou a reinar, e reinou vinte e nove anos em Jerusalém. Sua mãe chamava-se Joaden, de Jerusalém.

2. Fez o bem na presença do Senhor, mas não com um coração perfeito.

3. Quando viu assegurado o seu império, mandou matar os servos que tinham assassinado o rei seu pai,

4. mas não mandou matar os filhos deles, conformando-se com o que está escrito no livro da lei de Moisés, onde o Senhor pôs este preceito: Não serão mortos os pais pelos filhos, nem os filhos por seus pais, mas cada qual morrerá pelo seu delito.

5. Amasias congregou todo o (povo de) Judá e organizou-o por famílias, com chefes de milhares e chefes de centenas, em todo o Judá e Benjamim. Fez o recenseamento desde os vinte anos para cima, e achou trezentos mil mancebos, que podiam ir à guerra e levar lança e escudo.

6. Tomou também a soldo cem mil homens valentes do reino de Israel, por cem talentos de prata.

7. Todavia um homem de Deus foi ter com ele e disse-lhe: Ó rei, não marche o exército de Israel contigo, porque o Senhor não é com Israel nem com todos os filhos de Efraim.

8. Se julgas que o sucesso da guerra depende da força do exército, Deus fará que sejas vencido pelos inimigos, porque só Deus pode socorrer e pôr em fuga.

9. Amasias disse ao homem de Deus: Que será, pois, dos cem talentos que dei aos soldados de Israel? O homem de Deus respondeu-lhe: Deus tem por onde te pode dar muito mais do que isso.

10. Amasias separou, pois, o exército que lhe tinha vindo de Efraim, para que voltasse para a sua terra. Eles, em extremo irritados contra Judá, voltaram para o seu país.

11. Amasias, cheio de confiança, mandou marchar o seu povo, que conduziu até ao vale de Salinas, onde derrotou dez mil dos filhos de Seir.

12. Os filhos de Judá fizeram prisioneiros outros dez mil homens; tendo-os levado ao alto dum despenhadeiro, atiraram-nos abaixo, e todos eles ficaram despedaçados.

13. Porém aquele exército que Amasias tinha despedido para não ir à guerra com ele, espalhou-se pelas cidades de Judá, desde Samaria até Betoron, e, depois de ter morto três mil homens, fez uma grande presa.

14. Amasias, depois da matança dos Idumeus, trouxe os deuses dos filhos de Seir, fez deles os seus próprios deuses: adorava-os e oferecia-lhes incenso.

15. Irritado o Senhor contra Amasias, enviou-lhe um profeta, que lhe disse: Por que adoraste tu deuses que não livraram o seu povo das tuas mãos?

16. Dizendo-lhe isto o profeta, ele respondeu: Porventura és tu o conselheiro do rei? Cala-te, se não queres que eu te mate. O profeta, ao retirar-se, disse: Eu sei que Deus decretou a tua morte, porque fizeste este mal e, além disso, não deste ouvidos ao meu conselho.

17. Amasias, rei de Judá, depois de ter tomado conselho, mandou dizer a Joás, filho de Joacaz, filho de Jeú, rei de Israel: Vem, vejamo-nos um ao outro.

18. Este, porém, reenviou-lhe os mensageiros, dizendo: O cardo que está no Líbano, mandou dizer ao cedro do Líbano: Dá a tua filha por mulher ao meu filho. Porém as feras que estavam no bosque do Líbano, passaram e pisaram o cardo.

19. Tu disseste; Eu derrotei Edom. Por isso o teu coração se ensoberbeceu; deixa-te estar em tua casa; por que buscas a desgraça contra ti, arriscando-te a uma empresa, que te perderá a ti e a Judá?

20. Amasias não o quis ouvir, porque era vontade do Senhor entregá-lo nas mãos dos inimigos, por causa dos deuses de Edom (que ele adorava).

21. Saiu, pois, Joás, rei de Israel, e puseram-se os exércitos à vista um do outro. Amasias, rei de Judá, estava acampado em Betsames de Judá.

22. Judá foi batido diante de Israel e fugiu para as suas tendas.

23. Joás, rei de Israel, aprisionou Amasias, rei de Judá, filho de Joás, filho de Joacaz, em Betsames, e levou-o a Jerusalém, onde derribou o muro da cidade, desde a porta de Efraim até à porta do ângulo, por espaço de quatrocentos côvados.

24. Levou para Samaria todo o ouro e prata e todos os vasos que encontrou na casa de Deus, na de Obededom e nos tesouros da casa real; (levou) também os filhos dos príncipes, no seu regresso a Samaria.

25. Amasias, filho do rei Joás, rei de Judá. viveu quinze anos, depois da morte de Joás, filho de Joacaz, rei de Israel.

26. O resto das ações de Amasias, tanto as primeiras como as últimas, estão escritas no livro dos reis de Judá e de Israel.

27. Depois que este príncipe abandonou o Senhor, armaram uma conjuração contra ele em Jerusalém. Fugiu para Laquis, mas (os conspiradores) mandaram homens, e estes o mataram lá.

28. Trazendo-o sobre cavalos, enterraram-no com os seus maiores na cidade de David.





“Diga ao Senhor: Faça em mim segundo a Tua vontade, mas antes de mandar-me o sofrimento, dê-me forças para que eu possa sofrer com amor.”. São Padre Pio de Pietrelcina