1. Disse também a seus discípulos; "Um homem rico tinha um feitor, que foi acusado diante dele de ter dissipado os seus bens.

2. Chamou-o, e disse-lhe : Que é isto que ouço dizer de ti? Dá conta da tua administração; não mais poderás ser meu feitor,

3. Então o feitor disse consigo: Que farei, visto que o meu senhor me tira a administração? Cavar não posso, de mendigar tenho vergonha.

4. Já sei o que hei-de fazer, para que, quando for removido da administração, haja quem me receba em sua casa.

5. Tendo chamado cada um dos devedores do seu senhor, disse ao primeiro: Quanto deves ao meu senhor?

6. Ele respondeu: Cem cados de azeite. Então disse-lhe : Tom a a tua caução, senta-te e escreve depressa cinquenta.

7. Depois disse a outro: Tu quanto deves? Ele respondeu: Cem medidas de trigo. Disse-lhe o feitor: Tom a a tua caução e escreve oitenta.

8. E o senhor louvou o feitor iníquio, por ter procedido sagazmente. Porque os filhos deste século são mais hábeis no trato com os seus semelhantes que os filhos da luz. (ver nota)

9. Portanto eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da iniquidade, para que, quando vierdes a precisar, vos recebam nos tabernáculos eternos. (ver nota)

10. O que é fiel no pouco, também é fiel no muito; e o que é injusto no pouco, também é injusto no muito.

11. Se, pois, vós não fostes fiéis nas riquezas iníquas, quem fiará de vós as verdadeiras? (ver nota)

12. E se vós não fostes fiéis no alheio, quem vos dará o que é vosso? (ver nota)

13. Nenhum servo pode servir a dois senhores, porque ou odiará um, e amará o outro, ou se afeiçoará a um, e desprezará o outro. Não podeis servir Deus e o dinheiro." (ver nota)

14. Ora os fariseus, que eram amigos do dinheiro, ouviam todas estas coisas, e zombavam dele.

15. Jesus disse-lhes: "Vós sois aqueles que pretendeis passar por justos diante dos homens, mas Deus conhece os vossos corações; o que é excelente segundo os homens, é abominação diante de Deus.

16. A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todos se esforçam por entrar nele pela violência.

17. Ora é mais fácil passar o céu e a terra, do que perder-se um til da lei.

18. Todo o que repudia sua mulher, e toma outra, comete adultério ; e o que casa com a que foi repudiada por seu marido, comete adultério.

19. Havia um homem rico, que se vestia de púrpura e de linho fino, e todos os dias se banqueteava esplêndidamente.

20. Havia também um mendigo, chamado Lázaro, que, coberto de chagas, estava deitado à sua porta,

21. desejando saciar-se com as migalhas que caiam da mesa do rico... e até os cães vinham lamber-Ihe as chagas.

22. Sucedeu morrer o mendigo, e foi levado pelos anjos ao seio de Abraão. Morreu também o rico, e foi sepultado.

23. Quando estava nos tormentos do inferno, levantando os olhos, viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio.

24. Então exclamou; Pai Abraão, compadece-te de mim, e manda Lázaro que molhe em água a ponta do seu dedo, para refrescar a minha língua, pois sou atormentado nesta chama.

25. Abraão disse-lhe: Filho, lembra-te que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro, ao contrário, recebeu males; por isso ele é agora consolado, e tu és atormentado.

26. Além disso, há entre nós e vós um grande abismo; de maneira que os que querem passar daqui para vós, não podem, nem os daí podem passar para nós.

27. O rico disse: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à minha casa paterna,

28. pois tenho cinco irmãos, para que os advirta disto, e não suceda virem também eles parar a este lugar de tormentos.

29. Abraão disse-lhe: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos.

30. Ele, porém, disse: Não basta isso pai Abraão, mas, se algum dos mortos for ter com eles, farão penitência.

31. Ele disse-Ihe: Se não ouvem Moisés e os profetas, tão-pouco acreditarão, ainda que ressuscitasse algum dos mortos."





“Para que se preocupar com o caminho pelo qual Jesus quer que você chegue à pátria celeste – pelo deserto ou pelo campo – quando tanto por um como por outro se chegará da mesma forma à beatitude eterna?” São Padre Pio de Pietrelcina