1. Oráculo. A palavra do Senhor (pesa) sobre a terra de Hadrac, repousa em Damasco, porque ao Senhor pertencem as cidades de Aram, assim como todas vizinhas as tribos de Israel.

2. (Este oráculo é) também contra Hamat, que confina com Damasco e contra Tiro e Sidónia, apesar da sua sabedoria.

3. Tiro levantou as suas fortificações, amontoou prata como terra, e ouro como lama das ruas.

4. Eis que o Senhor se apoderará dela, precipitará a sua fortaleza no mar, e será devorada pelo fogo.

5. Ascalon verá isto e ficará a tremer; vê-lo-á também Gaza e ficará possuída de intensa dor; Acaron se afligirá, porque foi enganada a sua esperança; em Gaza não haverá mais rei, e Ascalon ficará despovoada. (ver nota)

6. O estrangeiro (conquistador) terá a sua residência em Azot, e eu destruirei a soberba dos Filisteus.

7. Tirarei da boca deste povo o sangue, e as suas abominações dentre os seus dentes; ele também será um resto para o nosso Deus, será como uma família em Judá; Acaron será tratado como um Jebuseu. (ver nota)

8. Acamparei em volta da minha casa, guardando-a das idas e vindas (do inimigo); o opressor não passará mais por aí, porque eu olho agora para ela com olhos favoráveis.

9. Salta de alegria, ó filha de Sião, enche-te de júbilo, ó filha de Jerusalém. Eis que o teu rei vem a ti, justo e vitorioso; ele é humilde e vem montado sobre um jumento, sobre o potrinho duma jumenta. (ver nota)

10. Então exterminarei os carros de guerra de Efraim e os cavalos de Jerusalém; os arcos que servem na guerra serão quebrados. Ele anunciará a paz às nações; o seu poder se estenderá de um mar até ao outro mar, desde o rio até às extremidades da terra.

11. Quanto a ti, também, por causa do sangue da tua aliança, farei sair os teus cativos da fossa em que não há água. (ver nota)

12. Tornai para a vossa praça forte, ó cativos (cheios) de esperança: hoje também vos anuncio que vos darei dobrados bens.

13. Porque reteso Judá como um arco, ponho Efraim como flecha; suscitarei os teus filhos, ó Sião, contra os teus filhos, ó Grécia; e te farei (irresistível) como a espada dos valentes. (ver nota)

14. O Senhor Deus aparecerá sobre eles (os Judeus), e a sua flecha partirá como relâmpago; O Senhor Deus os animará pelo som da trombeta e marchará entre as borrascas do meio-dia. (ver nota)

15. O Senhor dos exércitos os protegerá; eles devorarão (os seus inimigos) e os sujeitarão com as pedras das suas fundas; bebendo (o seu sangue), se embriagarão como com vinho, ficarão cheios como os copos e como os ângulos do altar.

16. O Senhor seu Deus os salvará naquele dia, como rebanho do seu povo; à maneira de pedras santas, brilharão sobre a sua terra.

17. Que felicidade, que beleza a dele! O trigo dará crescimento aos jovens, e o vinho novo às virgens. (ver nota)





“Que Nossa Mãe do Céu tenha piedade de nós e com um olhar maternal levante-nos, purifique-nos e eleve-nos a Deus.” São Padre Pio de Pietrelcina