1. Havia na Igreja de Antioquia profetas e doutores, entre os quais Barnabé, Simão, chamado o Negro, Lúcio de Cirene, Manahen, colaço de Herodes Tetrarca, e Saulo.

2. Estando eles a celebrar o culto do Senhor e a jejuar, disse-lhes o Espírito Santo: "Separai-me Barnabé e Saulo para a obra a que os destinei."

3. Então, depois de terem jejuado e orado, impuseram-lhes as mãos e despediram-nos.

4. Eles, pois, enviados pelo Espirito Santo, foram a Selêucia, e dali navegaram para Chipre.

5. Quando chegaram a Salamina, pregavam a palavra de Deus nas sinagogas dos Judeus. Tinham com eles João, como auxiliar.

6. Tendo percorrido toda a ilha até Pafos, encontraram um certo homem mago, falso profeta, judeu, que tinha por nome Barjesus,

7. o qual vivia com o procônsul Sérgio Paulo, homem prudente. Este, tendo mandado chamar Barnabé e Saulo, mostrou desejos de ouvir a palavra de Deus.

8. Mas Elimas, o mago (porque assim se interpreta o seu nome) se lhes opunha, procurando afastar da fé o procônsul.

9. Porém Saulo, que também se chama Paulo, cheio do Espírito Santo, fixando nele os olhos,

10. disse: "Ó (tu, que estás) cheio de todo o engano e de toda a astúcia, filho do demônio, inimigo de toda a justiça, não acabarás de perverter os caminhos rectos do Senhor?

11. Pois agora eis que a mão do Senhor está sobre ti, ficarás cego, sem ver o sol durante certo tempo." Caíram logo sobre ele a obscuridade e as trevas: andando à roda, buscava quem lhe desse a mão.

12. Então o procônsul, vendo este facto, creu, maravilhado com a doutrina do Senhor.

13. Tendo-se feito à vela de Pafos, Paulo e os que com ele se encontravam, chegaram a Perge da Panfilia, Aqui João, apartando-se deles, voltou a Jerusalém.

14. Eles, porém, passando além de Perge, foram a Antioquia da Pisídia, e, tendo entrado na sinagoga em dia de sábado, tomaram assento.

15. Depois da leitura da lei e dos profetas, os chefes da sinagoga mandaram-lhes dizer: "Irmãos, se tendes alguma exortação a fazer ao povo, falai."

16. Então Paulo, levantando-se e fazendo com a mão sinal de silêncio, disse: "Varões israelitas, e vós que temeis a Deus, ouvi:

17. O Deus deste povo de Israel escolheu nossos pais e exaltou este povo, enquanto eram estrangeiros na terra do Egipto, de onde os tirou com o poder do seu braço.

18. Alimentou-os no deserto, durante cerca de quarenta anos,

19. e, destruindo sete nações na terra de Canaan, distribuiu entre eles o território delas

20. e deu-lhas, em herança, por espaço de cerca de quatrocentos e cinqüenta anos. Depois disso, deu-lhes juízes até ao profeta Samuel.

21. Então pediram um rei, e Deus deu-lhes Saul, Filho de Cie, homem da tribo de Benjamim, por espaço de quarenta anos.

22. Rejeitado este, suscitou-lhes como rei a David, ao qual, dando testemunho, disse: Achei David, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que fará todas as minhas vontades.

23. Da descendência deste, Deus, segundo a sua promessa, suscitou um Salvador a Israel, Jesus,

24. tendo João pregado, antes da sua vinda, o baptismo da penitência a todo o povo de Israel.

25. João, chegando ao termo da sua missão, dizia: Eu não sou quem vós pensais, mas eis que, depois de mim, vem aquele, de quem não sou digno de desatar o calçado dos pés.

26. Irmãos, filhos da descendência de Abraão, e os que entre vós temem a Deus, a nós é que foi enviada esta palavra de salvação.

27. Efectivamente, os habitantes de Jerusalém e os seus chefes, não conhecendo Jesus nem as vozes dos profetas que cada sábado se lêem, condenando-o, as cumpriram.

28. Não encontrando nele nenhuma causa de morte, pediram a Pilatos para lhe tirar a vida.

29. Depois, tendo consumado todas as coisas que estavam escritas, tirando-o do madeiro, o puseram no sepulcro.

30. Deus, porém, ressuscitou-o dos mortos,

31. e ele foi visto durante muitos dias por aqueles que o tinham acompanhado da Galileia a Jerusalém, os quais agora são suas testemunhas perante o povo.

32. E nós vos anunciamos que aquela promessa, que foi feita a nossos pais,

33. Deus a cumpriu com seus filhos que somos nós, ressuscitando Jesus, como está escrito no salmo segundo: Tu és meu Filho, eu te gerei hoje ([Ps. 2,7).

34. Que o ressuscitou dos mortos, para nunca mais tornar à corrupção, ele o disse deste modo: Dar-vos-ei fielmente os favores sagrados prometidos a David ().

35. Por isso também diz noutro lugar: Não permitirás que o teu Santo experimente corrupção (Ps. 16,10).

36. Porque David, tendo durante a sua vida servido os desígnios de Deus, morreu, foi reunir-se com seus pais e experimentou a corrupção.

37. Porém, aquele que Deus ressuscitou dos mortos, não experimentou a corrupção.

38. Seja-vos, pois, notório, irmãos, que por ele vos é anunciada a remissão dos pecados e de tudo aquilo de que não pudestes ser justificados pela lei de Moisés.

39. Por ele é justificado todo aquele que crê.

40. Tomai, pois, cuidado que não venha sobre vós o que foi dito nos profetas:

41. Vede, ó desprezadores, admirai-vos e desaparecei, que eu vou fazer uma obra em vossos dias, uma obra que vós não crereis, se alguém vo-la contar (Hc. 1, 5).

42. Quando eles saiam da sinagoga, rogavam que, no sábado seguinte, lhes falassem sobre o mesmo assunto.

43. Tendo-se dissolvido a reunião, muitos Judeus e prosélitos piedosos seguiram Paulo e Barnabé, os quais, com as suas palavras, os exortavam a que perseverassem na graça de Deus.

44. No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade a ouvir a palavra de Deus.

45. Mas os Judeus, vendo aquela concorrência (de gente), encheram-se de inveja e responderam com injúrias às palavras de Paulo.

46. Então Paulo e Barnabé disseram-lhes resolutamente; "Vós éreis os primeiros a quem se devia anunciar a palavra de Deus, mas, porque a rejeitais e vos julgais indignos da vida eterna, eis que nos voltamos para os gentios,

47. porque assim nos ordenou o Senhor: Eu te constitui luz das nações para que sejas a salvação até à extremidade da terra (Is. 49, 6).

48. Os gentios, ouvindo isto, alegraram-se e glorificavam a palavra do Senhor. Creram todos os que eram ordenados para a vida eterna.

49. A palavra de Deus espalhava-se por toda aquela região.

50. Mas os Judeus instigaram algumas mulheres devotas e nobres, assim como os principais da cidade, e suscitaram uma perseguição contra Paulo e Barnabé, que lançaram fora do seu território.

51. Então estes, tendo sacudido contra eles o pó dos seus pés, foram para Icónio.

52. Entretanto os discípulos estavam cheios de alegria e do Espírito Santo.





“Amar significa dar aos outros – especialmente a quem precisa e a quem sofre – o que de melhor temos em nós mesmos e de nós mesmos; e de dá-lo sorridentes e felizes, renunciando ao nosso egoísmo, à nossa alegria, ao nosso prazer e ao nosso orgulho”. São Padre Pio de Pietrelcina