1. Quero, pois, que saibais qual o combate que sustento por vós e por aqueles que estão em Laodiceia, pelas e por todos os que não viram a minha face na carne,

2. a fim de que os seus corações sejam consolados, e eles estejam unidos na caridade e na abundância de uma perfeita inteligência, para conhecerem o mistério de Deus, que é Cristo,

3. no qual estão encerrados todos os tesouros da sabedoria e da ciência.

4. Digo-vos isto, para que ninguém vos engane com discursos subtis,

5. porque, posto que ausente quanto Cristo, ao corpo, estou todavia convosco em espírito, regozijando-me por ver a vossa boa ordem e a firmeza da vossa fé em Cristo.

6. Portanto, vivei em Cristo Jesus, o Senhor, como vos foi ensinado,

7. arraigados e edificados nele, fortificados na fé, como já aprendestes, crescendo nele em ação de graças.

8. Vede que ninguém vos engane por meio da filosofia inútil e enganadora, segundo a tradição dos homens, segundo os elementos do mundo, e não segundo Cristo.

9. Porque nele habita, corporalmente, toda a plenitude da divindade, (ver nota)

10. e vós estais cheios (de graça e de ciência) nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade;

11. também nele estais circuncidados com uma circuncisão não feita por mão de homem, mas que consiste no despojo do corpo da carne, (isto é) na circuncisão de Cristo. (ver nota)

12. Tendo sido sepultados (para o pecado) com ele no batismo, com ele também ressuscitastes (para a vida da graça) mediante a fé na ação de Deus, que o ressuscitou dos mortos.

13. A vós, que estáveis mortos pelos vossos pecados e pela incircuncisão (ou desordem) da vossa carne, vos deu vida juntamente com ele, perdoando-nos todos os nossos pecados.

14. Destruiu a acta redigida contra nós, cujas disposições nos condenavam, e fê-la desaparecer, encravando-a na cruz.

15. Despojou os principados e potestades (infernais), e fez deles um objecto de escárnio público, triunfando deles pela cruz.

16. Ninguém, pois, vos condene pelo comer ou pelo beber, ou por causa de um dia de festa, ou de uma lua nova, ou de um sábado, (ver nota)

17. todas estas coisas são sombra das vindouras; a realidade é Cristo.

18. Ninguém vos seduza, afetando humildade e culto dos anjos, divagando por coisas que nunca viu, inchado em vão com seus pensamentos carnais, (ver nota)

19. sem estar unido com a cabeça (que é Cristo), da qual todo o corpo, organizado e servido por ligamentos e junturas, cresce com aumento dado por Deus.

20. Portanto, se estais mortos com Cristo para os elementos deste mundo, por que é que, como se vivêsseis no mundo, vos submeteis a essas prescrições (da lei mosaica):

21. "Não tomeis, nem proveis, nem manuseeis!" (ver nota)

22. Todas estas coisas perecem pelo próprio uso. São preceitos e doutrinas dos homens.

23. Tudo isso tem na verdade uma aparência de sabedoria no culto voluntário (e supersticioso dos anjos), na humildade (afetada) e no mau tratamento do corpo, mas tudo isto é sem honra e só para satisfação da carne. (ver nota)





“A mulher forte é a que tem temor de Deus, a que mesmo à custa de sacrifício faz a vontade de Deus.” São Padre Pio de Pietrelcina