1. ALEF. Eu sou o homem que sentiu a miséria, debaixo da vara da sua indignação.

2. ALEF. Conduziu-me e fez-me andar pelas trevas, e não pela luz.

3. ALEF. Não cessa de voltar, contra mim só, a sua mão durante todo o dia.

4. BET. Consumiu a minha carne e minha pele, partiu os meus ossos.

5. BET. Ergueu construções contra mim, cercou-me de fel e de trabalho.

6. BET. Pôs-me nas trevas, como os que estão mortos para sempre.

7. CHIMEL. Cercou-me dum muro para que não possa sair; tornou pesados os meus grilhões.

8. CHIMEL. Ainda que eu clame e rogue, fica inacessível à minha oração.

9. CHIMEL. Fechou os meus caminhos com pedras de silharia, obstruiu as minhas veredas.

10. DALET. Tornou-se para mim como um urso em emboscada, como um leão em esconderijos.

11. DALET. Subverteu as minhas veredas, despedaçou-me, pôs-me na desolação.

12. DALET. Retesou (para disparar) o seu arco, e pôs-me como alvo das suas flechas.

13. HÉ. Cravou nos meus rins as setas da sua alvaja.

14. HÉ. Tornei-me o escárnio de todo o meu povo o assunto das suas cantilenas diárias.

15. HÉ. Encheu-me de amargura, embriagou-me de absinto.

16. VAU. Quebrou todos os meus dentes com areia, deu-me a comer cinza.

17. VAU. Está desterrada a minha alma da paz; já não sei o que é felicidade.

18. VAU. Eu disse: Desapareceu a minha força, assim como a esperança que tinha no Senhor.

19. ZAIN. Lembra-te da minha pobreza e tribulação absinto e fel (que me fazem beber).

20. ZAIN. Lembrando-me disto, sem cessar, a minha alma definha dentro de mim.

21. ZAIN. Mas eis o que repassarei no meu coração, para retomar esperança:

22. HET. Por graça do Senhor não fomos consumidos (inteiramente); sim, as suas comiserações não se esgotaram.

23. HET. Elas renovam-se todas as manhãs; grande é (ó Senhor) a tua fidelidade.

24. HET. A minha porção é o Senhor, disse a minha alma; portanto esperarei nele.

25. TET. O Senhor é bom para o que nele espera, para a alma que o busca.

26. TET. É bom esperar em silêncio a salvação (que vem de) Deus.

27. TET. É bom para o homem ter levado o jugo desde a sua mocidade.

28. JOD. Sente-se solitário e fique (resignado) em silêncio, se Deus lho impuser.

29. JOD. Ponha a sua boca no pó, a ver se há alguma esperança.

30. JOD. Ofereça a face ao que o fere, sacie-se de opróbrios.

31. CAF. Porque o Senhor não nos rejeita para sempre;

32. CAF. mesmo quando aflige, também se compadece (de nós), segundo a grande bondade.

33. CAF. Com efeito não humilha nem atormenta, por gosto, os filhos dos homens.

34. LAMED. Pisar aos seus pés todos os cativos da terra,

35. LAMED. violar o direito dum homem ante a presença do Altíssimo,

36. LAMED. prejudicar um homem na sua causa, o Senhor não há-de ver tudo isto?

37. MEM. Quem é que disse que se fizesse uma coisa, sem que o Senhor o mandasse?

38. MEM. Não saem da boca do Altíssimo os males e os bens?

39. MEM. Por que se queixa (pois) o homem, na sua vida? Queixe-se, sim, dos seus pecados.

40. NUN. Examinemos, investiguemos os nossos passos, e voltemos ao Senhor.

41. NUN. Levantemos os corações e as mãos para Deus nos céus.

42. NUN. Procedemos injustamente, fomos rebeldes; e tu não perdoaste.

43. SAMEG. Envolveste-te de cólera e perseguiste-nos, mataste sem misericórdia.

44. SAMEG. Puseste uma nuvem diante de ti, para a oração não passar.

45. SAMEC. Fizeste de nós varreduras e rebotalho, no meio dos povos.

46. FE. Abriram contra nós a sua boca todos os nossos inimigos.

47. FE. Foram a nossa parte o terror e a cova, a devastação e a ruína.

48. FE. Os meus olhos derramam rios de lágrimas, por causa da ruína da filha do meu povo.

49. AIN. Os meus olhos fundem-se em pranto contínuo, sem descanso,

50. AIN. até que olhe e veja o Senhor do alto dos céus.

51. AIN. Os meus olhos atormentam-me, chorando sobre todas as filhas da minha cidade.

52. SADE. Como a uma ave me deram caga, os meus inimigos sem causa.

53. SADE. Quiseram precipitar a minha vida na cova, puseram sobre mim uma pedra.

54. SADE. As águas submergiram a minha cabeça; eu disse então: Estou perdido.

55. COF. Invoquei, Senhor, o teu nome, do fundo da cova.

56. COF. Tu ouviste a minha voz: Não feches o teu ouvido aos meus soluços e clamores.

57. COF. Tu te aproximaste no dia em que te invoquei, e disseste: Não temas.

58. RES. Senhor, defendeste a causa da minha alma resgataste a minha vida.

59. RES. Viste, Senhor, a iniquidade deles contra mim; faze-me justiça.

60. RES. Viste todo o seu rancor, todas as suas maquinações contra mim.

61. SIN. Ouviste senhor, os seus vitupérios todas as suas maquinações contra mim,

62. SIN. os intentos dos meus adversários, o que tramam contra mim todo o dia.

63. SIN. Observa-os, quando sentados ou quando de pé: eu sou o objecto das suas canções (burlescas).

64. TAU. Tu, Senhor, lhes darás o pago, como merecem as obras das suas mãos.

65. TAU. Dar-lhes-ás o endurecimento de coração; caia sobre eles a tua maldição.

66. TAU. Tu os perseguirás com furor e exterminarás de debaixo dos céus, ó Senhor.





“Jesus está com você, e o Cireneu não deixa de ajudar-te a subir o Calvário.” São Padre Pio de Pietrelcina