1. Foi dirigida segunda vez a Jonas a palavra do Senhor, nestes termos:

2. Levanta-te e vai a Nínive, a grande cidade, e faze nela a pregação que eu te ordenar.

3. Jonas levantou-se e foi a Nínive, segundo a ordem do Senhor. Ora Nínive era uma cidade grande, diante de Deus, que tinha três dias de caminho.

4. Jonas começou a entrar na cidade, andando por ela um dia. Clamava assim: Daqui a quarenta dias será Nínive destruída.

5. Os Nínivitas creram em Deus, ordenaram um jejum público e vestiram-se de saco, desde o maior ao menor.

6. Chegada esta nova ao rei de Nínive, ele levantou-se do seu trono, tirou o seu manto, cobriu-se de saco e sentou-se sobre a cinza.

7. Depois fez-se clamar por seus príncipes: Os homens e os animais, os bois e as ovelhas não comam nada, não sejam levados a pastar, nem bebam água.

8. Os homens e os animais cubram-se de saco e clamem ao Senhor com força; cada um se converta do seu mau caminho e da violência que há nas suas mãos.

9. Quem sabe se Deus se virá a arrepender, se aplacará o ardor da sua ira, de sorte que não pereçamos?

10. Deus viu as suas obras (de penitência), como se convertiam do seu mau caminho, e, arrependendo-se do mal que tinha resolvido fazer-lhes, não lho fez.





“Desapegue-se daquilo que não é de Deus e não leva a Deus”. São Padre Pio de Pietrelcina