1. Simeão Pedro, servo e Apóstolo de Jesus Cristo, aos que receberam uma fé tão preciosa como a vossa, pela justiça de nosso Deus e Salvador Jesus Cristo. (ver nota)

2. Graça e paz vos sejam dadas em abundância, peio conhecimento de Deus e de Jesus, Nosso Senhor.

3. O seu divino poder deu-nos todas as coisas que dizem respeito à vida e à piedade, por meio do conhecimento daquele que nos chamou pela sua glória e virtude.

4. Por elas nos deu estas preciosas e magnificas promessas, a fim de que assim vos torneis participantes da natureza divina, fugindo da corrupção que há no mundo pela concupiscência.

5. Ora vós, aplicando todo o cuidado, juntai à vossa fé a virtude, à virtude a ciência,

6. à ciência a temperança, à temperança a constância, a constância a piedade,

7. à piedade o amor fraterno, ao amor fraterno a caridade.

8. Com efeito, se estas coisas se encontrarem e abundarem em vós, não vos deixarão vazios nem infrutuosos pelo conhecimento de Nosso Senhor Jesus Cristo.

9. Quem não tem estas coisas é um míope, um cego, e esquece-se de que foi purificado (pelo batismo) dos seus pecados antigos.

10. Portanto, irmãos, ponde cada vez maior cuidado em tornardes certa a vossa vocação e eleição (por meio das boas obras). Fazendo isto, não pecareis jamais.

11. Deste modo vos será concedida largamente a entrada no reino eterno de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

12. Pelo que não cessarei de vos admoestar sempre sobre estas coisas, embora estejais instruídos e confirmados na presente verdade.

13. Sim, considero meu dever, enquanto estou neste tabernáculo, (do meu corpo), despertar-vos com admoestações.

14. sabendo que, dentro em breve, deixarei o meu tabernáculo, segundo o que me deu a entender Nosso Senhor Jesus Cristo.

15. Mas terei cuidado de que, mesmo depois da minha morte, possais, em qualquer ocasião, recordar estas coisas.

16. Efetivamente, não foi seguindo fábulas engenhosas que vos fizemos conhecer o poder e a vinda (no fim do mundo) de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas foi depois de termos sido espectadores da sua grandeza.

17. De facto, ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da majestosa glória desceu a ele uma voz que dizia: "Este é o meu Filho amado, em quem pus as minhas complacências."

18. Nós mesmos ouvimos esta voz vinda do céu, quando estávamos com ele sobre o monte santo (da Transfiguração).

19. Temos ainda a palavra mais firme dos profetas, à qual fazeis bem em prestar atenção, como a uma lucerna que alumia num lugar escuro, até que venha o dia, e a estrelada manhã nasça em vossos corações. (ver nota)

20. Atendei antes de tudo a isto: que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação particular. (ver nota)

21. Com efeito, a profecia nunca foi dada pela vontade humana, mas os homens de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo. (ver nota)





“Deus sempre nos dá o que é melhor para nós.” São Padre Pio de Pietrelcina