1. Por amor de Sião eu não me calarei, e por amor de Jerusalém não descansarei, até que brilhe a sua justiça como a aurora, e resplandeça a sua salvação como um facho.

2. As nações (ó Jerusalém) verão a tua justiça, e todos os reis a tua glória; chamar-te-ão por um nome novo, que o Senhor designará pela sua (própria) boca.

3. Serás uma coroa de glória na mão do Senhor, um diadema real na mão do teu Deus.

4. Não serás chamada dali em diante a Desamparada, e a tua terra não será mais chamada a Deserta, mas serás chamada Querida minha, e a tua terra a Desposada, porque o Senhor achará agrado em ti e a tua terra terá esposo.

5. Assim como o jovem desposa a donzela, assim o teu construtor te desposará; e, assim como a esposa é a alegria do esposo assim tu serás a alegria do teu Deus.

6. Sobre os teus muros, ó Jerusalém, pus guardas, que se não calarão jamais, nem de dia nem de noite. Vós, os que despertais a memória do Senhor, não repouseis

7. e não o deixeis descansar, (pedi-lhe) até que restabeleça Jerusalém e a faça glória da terra.

8. O Senhor jurou pela sua dextra, e pelo seu braço forte, (dizendo): Eu não darei mais o teu trigo por comida aos teus inimigos, nem os filhos alheios beberão o teu vinho, fruto do teu trabalho;

9. mas os que recolherem o trigo o comerão, louvando o Senhor, e os que fizerem a vindima beberão o vinho nos átrios do meu santuário.

10. Passai, passai pelas portas, preparai a estrada ao povo! Abri, abri o caminho, tirai-lhe as pedras, e arvorai o estandarte para chamar os povos.

11. Eis o que o Senhor proclamou até às extremidades da terra: Dizei à filha de Sião: Eis aí vem o teu Salvador; eis que a sua recompensa vem com ele, e as suas atribuições o precedem.

12. Então (os teus filhos) serão chamados povo santo, resgatados do Senhor; tu serás chamada a Desejada (de todos), a cidade não desamparada.





“Para mim, Deus está sempre fixo na minha mente e estampado no meu coração.” São Padre Pio de Pietrelcina