1. Sede meus imitadores, como também o sou de Cristo.

2. Eu vos louvo porque em tudo vos lembrais de mim e guardais os meus preceitos, como vo-los ensinei.

3. Porém quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher, e Deus a cabeça de Cristo (como homem). (ver nota)

4. Todo o homem, que faz oração ou que profetiza com a cabeça coberta, desonra a sua cabeça.

5. Pelo contrário, toda a mulher, que faz oração ou que profetiza, não tendo coberta a cabeça, desonra a sua cabeça, porque é como se estivesse rapada.

6. Portanto, se a mulher se não cobre, corte o cabelo. E, se é vergonhoso para a mulher cortar ou rapar o cabelo, cubra a sua cabeça.

7. O homem, na verdade, não deve cobrir a sua cabeça, porque é a imagem e a glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem.

8. De facto, o homem não foi tirado da mulher, mas a mulher do homem.

9. E o homem não foi criado por causa da mulher, mas sim a mulher por causa do homem.

10. Por isso a mulher deve trazer sobre a cabeça um sinal de submissão, por causa dos anjos.

11. Contudo nem o homem existe sem a mulher, nem a mulher sem o homem, no Senhor.

12. Porque, se a mulher foi tirada do homem, também o homem é concebido pela mulher, e todas as coisas vêm de Deus.

13. Julgai vós mesmos: é decente que uma mulher faça oração a Deus, com a cabeça descoberta?

14. E não vos ensina a própria natureza que é desonroso para o homem deixar crescer os cabelos?

15. Pelo contrário, é glória para a mulher deixá-los crescer, porque os cabelos foram-lhe dados como véu (para se cobrir).

16. Se alguém quiser contestar (o que digo), (fique sabendo que) nós não temos tal costume, nem as Igrejas de Deus. (ver nota)

17. Fazendo-vos estes avisos, não vos posso louvar pelas vossas reuniões, que redundam em vosso detrimento e não em vosso benefício.

18. Com efeito, em primeiro lugar, ouço dizer que, quando vos reunis em assembleia, há entre vós divisões, o que, em parte, creio.

19. Pois é preciso que até haja divisões, para que os que são de uma virtude provada sejam manifestados entre vós.

20. Quando, portanto, vos reunis, não é já a ceia do Senhor que celebrais,

21. porque cada um se antecipa a comer a sua ceia. E um tem fome, enquanto outro está excessivamente saciado. (ver nota)

22. Porventura não tendes casas, para lá comer e beber? Ou desprezais a assembleia de Deus e envergonhais aqueles que nada têm? Que vos direi? Louvar-vos-ei? Nisto não vos louvo.

23. Porque eu recebi do Senhor o que vos transmiti: que o Senhor Jesus, na noite em que foi entregue, tomou o pão

24. e, dando graças, o partiu e disse: Tomai e comei; isto é o meu corpo, que é (dado) para vós; fazei isto em memória de mim. (ver nota)

25. Igualmente também, depois de ter ceado, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é a nova Aliança no meu sangue; fazei isto em memória de mim, todas as vezes que o beberdes.

26. Todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciareis a morte do Senhor, até que ele venha.

27. Portanto todo aquele que comer este pão ou beber o cálice do Senhor indignamente, será culpado quanto ao (delito cometido contra o) corpo e sangue do Senhor. (ver nota)

28. Examine-se, pois, a si mesmo cada um, e assim coma deste pão e beba deste cálice,

29. porque aquele que o come e bebe (indignamente) come e bebe a própria condenação, não distinguindo o corpo do Senhor (doutro qualquer alimento).

30. É por isso que há entre vós muitos enfermos e sem forças, e muitos que estão mortos.

31. Ora, se nos julgássemos a nós mesmos (fazendo penitência), não seriamos com certeza julgados.

32. Mas, quando somos julgados, somos castigados pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.

33. Portanto, Irmãos meus, quando vos reunis para comer, esperai uns pelos outros.

34. Se algum tem fome, coma em casa, a fim de que vos não junteis para vossa condenação. Quanto às outras coisas, eu as ordenarei, quando for (ter convosco).





“Quanto maiores forem os dons, maior deve ser sua humildade, lembrando de que tudo lhe foi dado como empréstimo.”(Pe Pio) São Padre Pio de Pietrelcina