1. No primeiro ano de Baltasar, rei de Babilônia, teve Daniel um sonho e visões da sua cabeça, estando na sua cama. Escreveu o seu sonho, apontando a substância do acontecido. Exprimiu-se assim:

2. Eu estava vendo na minha visão nocturna, e eis que os quatro ventos do céu agitavam o Grande Mar. (ver nota)

3. E quatro grandes animais, diferentes uns dos outros, saíram do mar.

4. O primeiro era como um leão e tinha asas de águia. Quando eu estava olhando para ele, foram-Ihe arrancadas as asas, e foi levantado da terra e erguido sobre os seus pés, como um homem, e foi-lhe dado um coração de homem.

5. E vi outro animal semelhante a um urso, que se levantava sobre um lado, o qual tinha três costelas na sua boca, entre os dentes, e diziam-'lhe assim: Levanta-te, como carne em abundância.

6. Depois disto, quando estava olhando, vi outro (animal), semelhante a um leopardo que tinha no dorso quatro asas, como asas dum pássaro; este animal possuía quatro cabeças, e foi-lhe dado o poder.

7. Depois disto, continuando a contemplar esta visão nocturna, vi um quarto animal, terrível, espantoso e extraordináriamente forte, com uns grandes dentes de ferro; devorava e despedaçava, e calcava aos pés o que sobejava; era diferente dos outros animais que eu tinha visto antes dele, e tinha dez hastes.

8. Estava eu contemplando as hastes quando vi uma outra haste pequena, que nascia do meio delas; três das primeiras hastes foram arrancadas de diante dela (à medida que crescia); nesta haste havia uns olhos como olhos de homem, e uma boca que falava com Insolência.

9. Eu continuava atento a ver: foram postos uns tronos, e um Ancião sentou-se; a sua roupa era branca como a neve, e os cabelos da sua cabeça como a pura lã ; o seu trono era de chamas de fogo, e as rodas neste trono um fogo ardente. (ver nota)

10. De diante dele saía um impetuoso rio de fogo; eram milhares de milhares os que o serviam, e miríades e miríades (ou inumeráveis) os que assistiam diante dele. Procedeu-se ao julgamento, e foram abertos os livros (ver nota)

11. Eu olhava atentamente por causa do ruído das palavras arrogantes que esta haste proferia; enquanto eu olhava, o animal foi morto, e o seu corpo destruído e entregue ao fogo.

12. (Vi) também que tinha sido tirado o poder aos outros animais mas a duração da sua vida foi-lhes prolongada até um tempo e um período. (ver nota)

13. Eu estava, pois, observando estas coisas durante a visão nocturna, e eis que vi um (personagem) que parecia um Filho de homem, que veio sobre as nuvens do céu; chegou até ao Ancião e foi apresentado diante dele. (ver nota)

14. Foram-lhe dados império, honra e reino; e todos os povos, nações e línguas o serviram; o seu império é um império eterno, que não passará, e o seu reino não será jamais destruído.

15. O meu espírito encheu-se de horror; eu, Daniel, fiquei atemorizado com estas coisas, as visões da minha cabeça perturbaram-me.

16. Aproximei-me dum dos assistentes e perguntei-lhe a verdade sobre tudo isto. Ele deu-me a interpretação destas visões, ensinou-me;

17. Estes quatro grandes animais são quatro reis, que se levantarão da terra.

18. mas os santos do Deus altíssimo receberão o reino e entrarão na posse do mesmo reino para sempre, por uma eternidade de eternidades. (ver nota)

19. Depois disto, quis saber a verdade acerca do quarto animal, que era diferente de todos os outros e sobremaneira temeroso, de dentes de ferro e unhas de bronze, que devorava e despedaçava, e calcava aos pés o que sobejava.

20. (Quis também informar-me) das dez hastes que tinha na cabeça e da outra que lhe nascera na presença da qual tinham caído três hastes, haste que tinha olhos e uma boca que falava com insolência e que parecia maior que as outras

21. Estava eu observando, e eis que aquela haste fazia guerra contra os santos e levava-os de vencida,

22. até que veio o Ancião e sentenciou a favor dos santos do Altíssimo, e até que chegou o tempo, em que os santos obtiveram o reino.

23. Ele falou assim; o quarto animal será na terra o quarto reino, diferente de todos os outros reinos, que devorará toda a terra, a calcará e a reduzirá a pó.

24. As dez hastes são dez reis que se levantarão neste reino; depois deles se levantará outro, e será mais poderoso do que os primeiros, e humilhará três reis.

25. Falará insolentemente contra o Altíssimo, atropelará os santos do Altíssimo e imaginará que pode mudar os tempos e a lei; os santos serão entregues nas suas mãos até um (ano ou) tempo, dois (anos ou) tempos e metade dum (ano ou) tempo. (ver nota)

26. (Depois) se realizará o juízo, e ser-lhe-á tirado o poder para o destruir e aniquilar para sempre.

27. O reino, o império e a grandeza dos reinos, que estão debaixo de todos os céus, serão dados ao povo dos santos do Altíssimo, cujo reino é um reino eterno, e ao qual servirão e obedecerão todos os reis.

28. Aqui terminou o que me foi dito. Eu Daniel, fiquei muito perturbado com estes meus pensamentos, e todo o meu semblante se mudou; mas conservei tudo isto no meu coração. (ver nota)





“Deus é servido apenas quando é servido de acordo com a Sua vontade.” São Padre Pio de Pietrelcina