1. “Quando dois homens questiona-­rem entre si e forem apresentados diante do tribunal para serem julgados e, tendo sido justificado o inocente e condenado o culpado,

2. se o culpado merecer ser açoitado, o juiz o fará deitar por terra e o fará açoitar em sua presença com um número de golpes proporcional ao seu delito.

3. Não se poderá ultrapassar o número de quarenta, para que não suceda que, sendo-lhe infligido mais do que isso, o teu irmão se retire aviltado aos teus olhos.

4. Não atarás a boca ao boi quando ele pisar o grão.”*

5. “Se alguns irmãos habitarem juntos, e um deles morrer sem deixar filhos, a mulher do defunto não se casará fora com um estranho: seu cunhado a desposará e se aproximará dela, observando o costume do levirato.*

6. Ao primeiro filho que ela tiver se porá o nome do irmão morto, a fim de que o seu nome não se extinga em Israel.

7. Porém, se lhe repugnar receber a mulher do seu irmão, essa mulher irá ter com os anciãos à porta da cidade e lhes dirá: ‘Meu cunhado recusa perpetuar o nome de seu irmão em Israel e não quer observar o costume do levirato, recebendo-me por mulher’.

8. Eles o farão logo comparecer e o interrogarão. Se persistir em declarar que não a quer desposar,

9. sua cunhada se aproximará dele em presença dos anciãos, lhe tirará a sandália do pé e lhe cuspirá no rosto, dizendo: ‘Eis o que se faz ao homem que recusa levantar a casa de seu irmão!’.*

10. E a família desse homem se chamará em Israel a família do descalçado.”

11. “Se dois homens estiverem em disputa, e a mulher de um vier em socorro de seu marido para livrá-lo do seu assaltante e pegar este pelas partes vergonhosas,

12. cortarás a mão dessa mulher, sem compaixão alguma.

13. Não terás em tua bolsa duas espécies de pesos, uma pedra grande e uma pequena.*

14. Não terás duas espécies de medida, uma grande e outra pequena.

15. Tuas pedras serão um peso exato e justo, para que sejam prolongados os teus dias na terra que te dá o Senhor, teu Deus.

16. Porque quem faz essas coisas, quem comete fraude, é abominável aos olhos do Senhor, teu Deus.”

17. “Lembra-te do que te fez Amalec no caminho, quando saíste do Egito,

18. de como ele, sem temor algum a Deus, estando vós cansados e extenuados, veio atacar-te no caminho, atingindo todos os desfalecidos que te seguiam.

19. Quando, pois, o Senhor, teu Deus, te tiver dado segurança na terra que te dá como herança, e te tiver livrado dos inimigos que te cercam, apagarás de debaixo dos céus a memória de Amalec. Não o esqueças.”

Bíblia Ave Maria - Todos os direitos reservados.

25,4. Texto citado em 1Cor 9,6; 1Tm 5,18.

25,5. Levirato: era um antigo costume, mencionado já em Gn 38,8. O Deuteronômio faz-lhe restrições. (Ver Rt 4.) É a esse costume que se faz alusão em Mt 22,24; Mc 12,19; Lc 20,28. O termo levirato vem do latim levir, que quer dizer cunhado.

25,9. Tirar a sandália e dá-la a alguém significava, primitivamente, transferir um direito; o calçado tinha se tornado assim um símbolo do direito de propriedade (ver Rt 4,7).

25,13. Duas espécies: os pesos maiores para a compra e os menores para a venda; a mesma coisa quanto às medidas de capacidade.




Livraria Católica

Conheça esses e outros livros em nossa livraria.



“Imitemos o coração de Jesus, especialmente na dor, e assim nos conformaremos cada vez mais e mais com este coração divino para que, um dia, lá em cima no Céu, também nós possamos glorificar o Pai celeste ao lado daquele que tanto sofreu”. São Padre Pio de Pietrelcina