1. Não te alegres, Israel, não exultes como os povos (pagãos), porque te prostituiste, sendo infiel ao teu Deus, amaste a recompensa impura, por sobre todas as eiras de trigo. (ver nota)

2. A eira e o lagar não os sustentarão, e o vinho iludirá a sua espectativa.

3. Não habitarão na terra do Senhor. Os de Efraim voltarão para o Egipto, e comerão alimentos impuros entre os Assírios.

4. Não farão libações de vinho ao Senhor, nem lhe oferecerão agradáveis sacrifícios; o seu pão será como o pão que se come no luto: todos os que comerem dele; ficarão impuros; o seu pão será só para eles, não entrará na casa do Senhor.

5. Que fareis vós no dia solene, no dia da festa do Senhor?

6. Eles partem por causa da devastação (da sua terra). O Egipto os recolherá, Menfis os sepultará; as suas preciosidades de prata serão das urtigas e, crescerão os abrolhos nas suas casas.

7. Chegaram os dias do castigo, chegaram os dias da retribuição. Clama Israel: O profeta é louco, o varão espiritual é insensato! À enormidade da tua iniquidade junta-se a da tua perseguição.

8. A sentinela de Efraim — com o meu Deus — o profeta, encontra um laço de caçador sobre todos os seus caminhos, a perseguição (mesmo) na casa do seu Deus.

9. Estão profundamente corrompidos, como nos dias de Gabaa. O Senhor se lembrará da sua iniquidade e castigará os seus pecados. (ver nota)

10. Encontrei Israel como cachos de uvas no deserto; vi os vossos pais como os primeiros frutos da figueira. Porém, chegados a Beelfegor, consagraram-se à infâmia e tornaram-se abomináveis como as coisas que amaram.

11. A glória de Efraim voará como uma ave; não haverá nascimento, nem gravidez nem concepção.

12. Mas, ainda mesmo que criassem alguns filhos, eu faria com que ficassem sem eles, para não restar ninguém. E ai deles quando eu os abandonar!

13. Efraim, pelo que vi, era como Tiro, apoiada na sua beleza; mas Efraim levará seus filhos ao que lhes há-de tirar a vida.

14. Dá-lhes, Senhor... Porém, que lhes darás? Dá-lhes um ventre estéril e peitos secos.

15. Toda a sua malícia (apareceu) em Gálgala; foi lá que lhes concebi aversão; lançá-los-ei fora da minha casa, por causa da malícia das suas obras; não tornarei mais a ter-lhes amor; todos os seus príncipes são uns rebeldes.

16. Efraim está ferido (de morte), a sua raiz seca: (os de Efraim) não darão mais fruto. Se, porém, tiverem filhos, matarei os queridos de suas entranhas.

17. O meu Deus os rejeitará, porque não o ouviram; andarão errantes entre as nações.





“Recorramos a Jesus e não às pessoas, pois só ele nunca nos faltará.” São Padre Pio de Pietrelcina