1. Josué Ievantando-se de madrugada, moveu o acampamento e saiu de Setim. Chegados ao Jordão, ele e todos os filhos de Israel, aí se detiveram, antes de o atravessar.

2. Passados três dias, os pregoeiros atravessaram pelo meio do acampamento,

3. e começaram a dizer em alta voz: Logo que virdes a arca da aliança do Senhor vosso Deus levada pelos sacerdotes da linhagem de Levi, levantai-vos vós, também, e ide atrás dela,

4. mas de forma que haja entre vós e a arca o espaço de dois mil côvados, a fim de a poderdes ver de longe, e conhecer o caminho por onde deveis ir, porque não andastes antes por ele; tomai cuidado, não vos aproximeis da arca. (ver nota)

5. Josué disse ao povo: Santificai-vos, porque amanhã o Senhor fará entre vós maravilhas.

6. Depois Josué falou aos sacerdotes: Tomai a arca da aliança e ide adiante do povo. Eles, executando a sua ordem, tomaram (a arca), e caminharam adiante do povo.

7. O Senhor disse a Josué: Hoje começarei a exaltar-te diante de todo o Israel, para que saibam que, assim como fui com Moisés, assim sou contigo.

8. Aos sacerdotes que levam a arca da aliança, dá-lhes esta ordem: Quando tiverdes chegado às águas do Jordão, parai aí.

9. Josué disse aos filhos de Israel: Aproximai-vos, e ouvi a palavra do Senhor vosso Deus.

10. E acrescentou: Por isto conhecereis que o Senhor, o Deus vivo, está no meio de vós, e exterminará à vossa vista o Cananeu, o Heteu, o Heveu, o Fereseu, o Gergeseu, o Jebuseu e o Amorreu.

11. Eis que a arca da aliança do Senhor de toda a terra irá adiante de vós pelo meio do Jordão.

12. Preparai doze homens das tribos de Israel, um de cada tribo.

13. Logo que os sacerdotes, que levam a arca de Javé, o Senhor de toda a terra, puserem as plantas de seus pés nas águas do Jordão, as águas debaixo seguirão a sua corrente e minguarão, e as que vêm de cima, pararão, amontoando-se.

14. Quando saiu o povo das suas tendas, para passar o Jordão, os sacerdotes, que levavam a arca da aliança, caminhavam adiante dele.

15. No momento em que entraram no Jordão, e a água lhes começou a molhar os pés (porque o Jordão, sendo o tempo da ceifa, inundava as margens do seu leito),

16. as águas, que vinham de cima, pararam num só lugar, e, levantando-se à maneira dum monte, descobriam-se de longe desde a cidade, que se chama Adom, até ao lugar de Sartan; e as que desciam continuaram a correr para o mar do deserto (que agora se chama Mar Morto), até que faltaram de todo. Entretanto o povo caminhava para Jericó.

17. Os sacerdotes, que levavam a arca da aliança do Senhor, conservavam-se quietos, de pé, sobre a terra seca, no meio do Jordão, e todo o povo ia passando pelo leito do rio, a pé enxuto.





“O amor sem temor torna-se presunção.” São Padre Pio de Pietrelcina