1. Vi, então, descer do céu um anjo que tinha na mão a chave do abismo e uma grande algema.

2. Ele apanhou o Dragão, a primitiva Serpente, que é o Demônio e Satanás, e o acorrentou por mil anos.*

3. Atirou-o no abismo, que fechou e selou por cima, para que já não seduzisse as nações, até que se completassem mil anos. Depois disso, ele deve ser solto por um pouco de tempo.

4. Vi também tronos, sobre os quais se assentaram aqueles que receberam o poder de julgar: eram as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da Palavra de Deus, e todos aqueles que não tinham adorado a Fera ou sua imagem, que não tinham recebido o seu sinal na fronte nem nas mãos. Eles viveram uma vida nova e reinaram com Cristo por mil anos.*

5. (Os outros mortos não tornaram à vida até que se completassem os mil anos.) Essa é a primeira ressurreição.

6. Feliz e santo é aquele que toma parte na primeira ressurreição! Sobre eles a segunda morte não tem poder, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo: reinarão com ele durante os mil anos.

7. Depois de se completarem mil anos, Satanás será solto da prisão.*

8. Sairá dela para seduzir as nações dos quatro cantos da terra (Gog e Magog) e reuni-las para o combate. Serão numerosas como a areia do mar.

9. Subiram à superfície da terra e cercaram o acampamento dos santos e a cidade querida. Mas desceu um fogo dos céus e as devo­rou.

10. O Demônio, sedutor delas, foi lançado num lago de fogo e de enxofre, onde já estavam a Fera e o falso profeta, e onde serão atormentados, dia e noite, pelos séculos dos séculos.

11. Vi, então, um grande trono branco e aquele que nele se assentava. Os céus e a terra fugiram de sua face, e já não se achou lugar para eles.*

12. Vi os mortos, grandes e pequenos, de pé, diante do trono. Abriram-se livros, e ainda outro livro, que é o livro da vida. E os mortos foram julgados conforme o que estava escrito nesse livro, segundo as suas obras.

13. O mar restituiu os mortos que nele estavam. Do mesmo modo, a morte e a morada subterrânea. Cada um foi julgado segundo as suas obras.

14. A morte e a morada subterrânea foram lançadas no tanque de fogo. A segunda morte é esta: o tanque de fogo.

15. Todo o que não foi encontrado inscrito no livro da vida foi lançado ao fogo.

Bíblia Ave Maria - Minden jog fenntartva.

20,2. Os mil anos: muito discutidos, parecem designar sob um novo aspecto, sem relação com os valores aritméticos, os últimos tempos que se estendem da Ascensão até a volta do Cristo Juiz. Três anos e meio referem-se a um tempo estritamente medido para os esforços estéreis da perseguição; mil anos mostram a amplidão vitoriosa do cristianismo, que é a mais profunda realidade que encobre todo o curso da história do Reino messiânico.

20,4. Uma vida nova: a continuidade da vida divina feliz neste mundo e no outro é uma das verdades básicas do Apocalipse. Mesmo que o seu Reino não seja deste mundo, desde agora os cristãos participam espiritualmente da realeza de Cristo. A primeira ressurreição equivale à passagem para a vida da graça, ou seja, a morte ao pecado pelo batismo. Essa primeira ressurreição aguarda a segunda, que é a ressurreição dos corpos no dia do juízo.

20,7. Esta libertação final de Satanás corresponde à morte das testemunhas de Cristo, no cap. 11. Apesar dessa imagem, não é necessário concentrar esses êxitos diabólicos no breve espaço de tempo que precederia imediatamente o juízo. Talvez seja melhor colocá-los em toda a evolução da história na qual o demônio, que só está relativamente preso, não cessa de conseguir êxitos parciais e provisórios, que são contemporâneos da vitória permanente de Cristo, expressa nos mil anos. Os nomes de Gog e Magog lembram o inimigo escatológico do Norte. Foram tomados de Ezequiel (cap. 38–39), onde recordam o terror das invasões dos citas.

20,11. O trono branco é um presságio do julgamento, no qual a misericórdia ultrapassará a justiça. Fugiram: o mundo material deve ser espiritualizado. Os profetas figuram essa renovação pela fuga do mundo antigo seguida da criação do mundo novo.




“Que o Espírito Santo guie a sua inteligência, faça-o descobrir a verdade escondida na Sagrada Escritura e inflame a sua vontade para praticá-la.” São Padre Pio de Pietrelcina