Löydetty 927 Tulokset: Davi

  • Os servos de Saul repetiram essas palavras aos ouvidos de Davi, mas este respondeu: “Parece-vos pouca coisa ser genro do rei? Eu sou pobre e de condição humilde”. (I Samuel 18, 23)

  • Os servos de Saul referiram-lhe as palavras de Davi. (I Samuel 18, 24)

  • Saul ordenou: “Falarei assim a Davi que o rei só pede como dote cem prepúcios de filisteus, para vingar-se dos seus inimigos”. Seu desígnio era entregar Davi nas mãos dos filisteus. (I Samuel 18, 25)

  • Transmitiram os servos a Davi essa mensagem, o qual se agradou da proposta de tornar-se genro do rei. (I Samuel 18, 26)

  • Antes que expirasse o prazo fixado, Davi partiu com seus homens; matou duzentos filisteus e trouxe os seus prepúcios, entregando-os integralmente ao rei, para se tornar seu genro. Saul deu-lhe por mulher sua filha Micol. (I Samuel 18, 27)

  • Ele compreendeu que o Senhor estava com Davi. Sua filha Micol o amava. (I Samuel 18, 28)

  • O rei sentiu com isso redobrar o seu medo. Durante todo o resto de sua vida ele detestou Davi. (I Samuel 18, 29)

  • Cada vez que os chefes dos filisteus faziam incursões, Davi era mais bem-sucedido que todos os homens de Saul, o que deu ao seu nome grande fama. (I Samuel 18, 30)

  • Saul falou ao seu filho Jônatas e a todos os servos, ordenando-lhes que matassem Davi. Mas Jônatas, que tinha grande afeição por Davi, (I Samuel 19, 1)

  • Jônatas falou bem de Davi ao seu pai e ajuntou: “Que o rei não faça mal algum ao seu servo Davi, pois que ele nun­ca te fez mal algum. Ao contrário, prestou-te grandes serviços. (I Samuel 19, 4)

  • Arriscou a sua vida para matar o filisteu e o Senhor deu uma grande vitória a Israel. Foste testemunha disso e te alegraste. Por que queres pecar contra o sangue inocente, matando Davi sem motivo?”.* (I Samuel 19, 5)

  • Saul ouviu a voz de Jônatas e fez este juramento: “Pela vida do Senhor, Davi não morrerá!” (I Samuel 19, 6)


“Pode-se manter a paz de espírito mesmo no meio das tempestades da vida”. São Padre Pio de Pietrelcina