Löydetty 927 Tulokset: Davi

  • “Amanhã – disse Davi – é lua nova e eu deveria jantar à mesa do rei. Deixa-me partir para me ocultar no campo até a tarde do terceiro dia. (I Samuel 20, 5)

  • “Mas quem me informará – perguntou Davi – se teu pai te responder duramente?” (I Samuel 20, 10)

  • não retires jamais tua benevolência de minha casa, nem mesmo quando o Senhor exterminar da face da terra todos os inimigos de Davi!”. (I Samuel 20, 15)

  • Foi assim que Jônatas fez aliança com a casa de Davi e o Senhor vingou-se dos inimigos de Davi. (I Samuel 20, 16)

  • Jônatas conjurou ainda uma vez a Davi, em nome da amizade que lhe consagrava, pois o amava de toda a sua alma. (I Samuel 20, 17)

  • Davi escondeu-se no campo. No dia da lua nova, o rei pôs-se à mesa para comer, (I Samuel 20, 24)

  • sentando-se, como de costume, numa cadeira junto à parede. Jônatas levantou-se para que Abner pudesse sentar-se ao lado de Saul e o lugar de Davi ficou desocupado. (I Samuel 20, 25)

  • No dia seguinte, segundo dia da lua, o lugar de Davi continuava vazio. Saul disse ao seu filho Jônatas: “Por que o filho de Jessé não veio comer, nem ontem nem hoje?”. (I Samuel 20, 27)

  • “Davi pediu-me com instâncias – respondeu Jônatas – para ir a Belém. (I Samuel 20, 28)

  • Saul brandiu sua lança para feri-lo e Jônatas viu que a morte de Davi era coisa decidida pelo seu pai. (I Samuel 20, 33)

  • Furioso, deixou a mesa sem comer naquele segundo dia da lua. As injúrias que seu pai tinha proferido contra Davi tinham-no afligido profundamente. (I Samuel 20, 34)

  • Na manhã seguinte, Jônatas saiu ao campo e foi ao lugar combinado com Davi, acompanhado de um jovem servo. (I Samuel 20, 35)


“A mansidão reprime a ira.” São Padre Pio de Pietrelcina