1. Então mandou que ela entrasse onde estavam os seus tesouros, ordenando que ficasse ali, e estabeleceu o que Ihe havia de ser dado da sua mesa.

2. Judit respondeu-lhe: Eu não posso agora comer dessas coisas que mandaste dar-me, para não vir sobre mim a indignação (de Deus); comerei daquelas coisas que trouxe comigo.

3. Holofernes disse-lhe: E quando acabar o que trouxeste contigo, que havemos de fazer para ti?

4. Judit disse-lhe: Juro pela tua vida, meu Senhor, que a tua serva não gastará todas estas coisas, sem que Deus faça pela minha mão o que tenho na mente. Então os criados de Holofernes conduziram-na à tenda que ele tinha indicado.

5. Ao entrar, Judit pediu que lhe fosse dada licença de sair fora à noite e antes de amanhecer, para fazer oração e invocar o Senhor.

6. Holofernes ordenou aos seus camareiros que a deixassem sair e entrar conforme lhe agradasse, para adorar o seu Deus, durante três dias.

7. Ela saía de noite ao vale de Betúlia, e lavava-se numa fonte de água.

8. Ao voltar, orava ao Senhor Deus de Israel que a guiasse no seu caminho, a fim de conseguir a libertação do seu povo.

9. Depois, entrando, permanecia pura na sua tenda, até que tomava a sua refeição pela tarde.

10. Ao quarto dia, Holofernes deu uma ceia aos seus domésticos e disse a Vagao, seu eunuco: Vai e persuade a esta hebreia que consista espontâneamente em habitar comigo.

11. (E coisa vergonhosa entre os Assírios, que uma mulher zombe dum homem, procedendo de modo a retirar-se dele, sem se lhe entregar.)

12. Então Vagao foi ter com Judit e disse-lhe: Não tema a boa jovem entrar à presença de meu senhor para ser honrada diante dele, para comer com ele e beber vinho com alegria.

13. Judit respondeu-lhe: Quem sou eu para contradizer o meu senhor?

14. Eu farei tudo o que for bom e melhor diante dos seus olhos; tudo o que for do seu agrado, isso será também para mim o melhor em todos os dias da minha vida.

15. Ela levantou-se, adornou-se com os seus vestidos e apresentou-se diante dele.

16. O coração de Holofernes estremeceu, porque ardia de paixão por ela.

17. Holofernes disse-lhe: Bebe, pois, e senta-te a comer alegremente, porque achaste graça diante de mim.

18. Judit disse-lhe: Eu beberei, senhor, porque a minha alma recebeu hoje maior glória que em todos os meus dias.

19. E tomando daquilo que sua serva lhe tinha preparado, comeu e bebeu com ele.

20. Holoernes alegrou-se diante dela, e bebeu vinho em demasia, tanto quanto nunca tinha bebido em sua vida.





“A divina bondade não só não rejeita as almas arrependidas, como também vai em busca das almas teimosas”. São Padre Pio de Pietrelcina