1. O ponto capital de tudo o que acabamos de dizer é este: temos um pontífice tal, que está sentado nos céus à direita do trono da Majestade,

2. ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo erigido pelo Senhor, e não pelo homem.

3. Sendo todo o pontífice constituído para oferecer dons e vítimas, é necessário que também este tenha alguma coisa que oferecer.

4. Porque, se ele estivesse sobre a terra, nem sacerdote seria, visto que os há aí (filhos da tribo de Levi) que oferecem dons, segundo a lei, (ver nota)

5. que celebram um culto que é apenas imagem e sombra das coisas celestiais, como foi dito por Deus a Moisés, quando teve de construir o tabernáculo: Olha (disse) faze todas as coisas conforme o modelo que te foi mostrado sobre o monte (Ex. 25, 40).

6. Mas (Cristo) recebeu um ministério tanto mais elevado quanto melhor a aliança de que é mediador, a qual foi estabelecida sobre melhores promessas.

7. De facto, se aquela primeira aliança tivesse sido sem defeito, não se buscaria lugar para uma segunda.

8. Pois que (Deus), repreendendo-os, diz: Eis virão dias em que eu contrairei com a casa de Israel e com a casa de Judá uma nova aliança,

9. diferente da aliança que fiz com os seus pais, no dia em que lhes peguei pela mão para os tirar da terra do Egito; porém, visto que eles não perseveraram na minha aliança, também me desinteressei deles, diz o Senhor.

10. Mas esta é a aliança que estabelecerei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: porei as minhas leis no seu espirito, grava-las-ei no seu coração, e serei o seu Deus, e eles serão o meu povo; (ver nota)

11. ninguém ensinará mais a seu compatriota, ninguém a seu irmão, dizendo: "conhece o Senhor", porque todos eles me conhecerão, desde o mais pequeno até ao maior, (ver nota)

12. pois perdoarei as suas iniquidades e não me lembrarei mais dos seus pecados (Jer. 31,31-34).

13. Falando de aliança nova, Deus declarou antiquada a primeira. Ora o que envelhece e se torna antiquado, está prestes a perecer.





“O amor nada mais é do que o brilho de Deus nos homens”. São Padre Pio de Pietrelcina