1. Jacob, tendo ouvido dizer que no Egito se vendia de comer, disse a seus filhos: Por que estais a olhar uns para os outros?

2. Ouvi dizer que no Egito se vendia trigo: ide e comprai-nos o necessário, para que possamos viver e não sejamos consumidos pela fome.

3. Os dez irmãos de José foram, pois, ao Egito para comprar trigo.

4. Benjamim ficou retido em casa por Jacob, o qual tinha dito aos teus irmãos: É de temer que lhe aconteça alguma desgraça na viagem.

5. Eles entraram na terra do Egito com outros que iam comprar (trigo), porque existia a fome na terra de Canaan.

6. José era governador na terra do Egito, e, conforme a sua vontade, se vendia o trigo aos povos. Tendo-se prostrado diante dele os seus irmãos, ele os reconheceu,

7. e falava-lhes com aspereza, como a estrangeiros, perguntando-lhes: Donde vindes? Eles responderam: Da terra de Canaan, a fim de comprar o necessário para o sustento.

8. Embora ele reconhecesse os irmãos, todavia não foi reconhecido por eles.

9. Lembrado dos sonhos que em outro tempo tivera, disse-lhes: Vós sois espiões; viestes reconhecer os lugares mais fracos do pais.

10. Eles responderam: Não é assim, senhor, mas os teus servos vieram para comprar de comer.

11. Somos todos filhos de um mesmo homem; vimos com sentimentos pacíficos, nem os teus servos maquinam mal algum.

12. Ele respondeu-lhes: Isso não é assim; vós viestes observar os lugares não fortificados deste país.

13. Eles porém disseram: Nós, teus servos, somos doze irmãos, filhos de um mesmo homem na terra de Canaan: o mais pequeno está com nosso pai, o outro já não existe.

14. E o que eu disse, tornou (José): sois espiões.

15. Desde já vos porei à prova: pela saúde de Faraó não saireis daqui, até que venha vosso irmão mais novo.

16. Mandai um de vós que o traga: vós ficareis prisioneiros, até que se prove se é verdadeiro ou falso o que dissestes: aliás, pela saúde de Faraó, sois espiões.

17. Meteu-os, pois, em prisão, durante três dias.

18. Tendo-os mandado tirar do cárcere no terceiro dia, disse: Fazei o que vos disse, e vivereis, por quanto temo a Deus.

19. Se sois de paz, um vosso irmão fique ligado no cárcere: vós ide e levai para vossas casas o trigo que comprastes.

20. Trazei-me vosso irmão mais novo, para que eu possa verificar ás vossas palavras, e não sejais condenados à morte. Eles fizeram como (José) lhes tinha dito;

21. disseram uns para os outros: Justamente sofremos estas coisas porque pecamos contra o nosso irmão, vendo a angústia do seu coração, quando nos suplicava e nós o não atendemos; por isso veio sobre nós esta tribulação.

22. Ruben, um deles, disse: Porventura não vos disse eu: Não pequeis contra o menino? E vós não me ouvistes. Eis que se requer (de nós) o seu sangue.

23. Ora eles não sabiam que José os entendia, porque lhes falava por intérprete.

24. (José) retirou-se, um momento, e chorou; e, voltando; falou com eles.

25. Tendo mandado tomar e ligar Simeão na presença deles, mandou aos oficiais que enchessem os seus sacos de trigo e repusessem o dinheiro de cada um no seu (respectivo) saco, dando-lhes, além disso, mantimentos para o caminho. E assim se fez.

26. Eles levando trigo sobre os seus jumentos, partiram.

27. Abrindo um deles o saco, para dar de comer ao (seu) jumento na estalagem, vendo o dinheiro, na boca do saco,

28. disse para seus irmãos: Tornaram-me a dar o dinheiro, ei-lo aqui no (meu) saco. E, pasmados e perturbados, disseram uns para os outros: Que é isto que Deus nos fez?

29. Chegaram a casa de Jacob, seu pai, na terra de Canaan, e contaram-lhe tudo o que lhes tinha acontecido, dizendo:

30. O Senhor daquela terra falou-nos com dureza e julgou que nós eramos espiões do país.

31. Nós respondemos-lhes: Somos homens pacíficos, não maquinamos traição alguma.

32. Somos doze irmãos gerados de um mesmo pai; um já não existe, e o mais novo está com nosso pai na terra de Canaan.

33. Ele disse-nos: Provarei deste modo se sois homens pacíficos: Deixa, um vosso irmão em meu poder, tomai os mantimentos necessários para as vossas famílias, e parti:

34. trazei-me (depois) o vosso irmão mais novo, para que eu saiba que não sois espiões e possais, recuperar este, que fica em prisão, e tenhais licença de comprar o que quiserdes.

35. Dito isto, ao despejar o trigo, cada um deles encontrou na boca do (seu) saco o dinheiro embrulhado; ao verem isto, eles e seu pai ficaram aterrados.

36. Jacob disse: Vós levastes-me a ficar sem filhos: José já não existe, Simeão está em cadeias, e haveis de levar-me Benjamin. Sobre mim caíram todos estes males.

37. Ruben respondeu-lhe; Mata os meus dois filhos, se eu to não trouxer outra vez; entrega-to nas minhas mãos e eu to restituirei.

38. Ele, porém, disse: Meu filho não irá convosco: seu irmão morreu, e ele ficou só; se lhe acontecer alguma desgraça na terra para onde ides, fareis descer os meus cabelos brancos com (essa) dor à habitação dos mortos.





“Para que se preocupar com o caminho pelo qual Jesus quer que você chegue à pátria celeste – pelo deserto ou pelo campo – quando tanto por um como por outro se chegará da mesma forma à beatitude eterna?” São Padre Pio de Pietrelcina