1. Insisto: enquanto o herdeiro é menino, em nada difere de um servo, ainda que seja senhor de tudo,

2. mas está debaixo dos tutores e curadores, até ao tempo determinado pelo pai;

3. assim também nós, quando éramos meninos (isto é, sujeitos à lei), éramos servos dos elementos do mundo. (ver nota)

4. Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, feito da mulher, feito sob a lei,

5. a fim de que remisse aqueles que estavam sob a lei, para que recebêssemos a adoção de filhos.

6. E, porque vós sois filhos, Deus mandou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Abba, Pai! (ver nota)

7. Portanto já não és servo, mas filho; e, se és filho, também és herdeiro de Deus.

8. Outrora, realmente, não conhecendo a Deus, servíeis aqueles que por natureza não são deuses.

9. Porém, agora, tendo vós conhecido a Deus, ou antes, sendo conhecidos dele, como voltais novamente aos rudimentos fracos e pobres (da lei), aos quais quereis de novo servir?

10. Observais os dias, os meses, as estações e os anos (segundo os ritos da lei de Moisés).

11. Temo ter trabalhado inutilmente entre vós.

12. Sede como eu, porque também eu sou (agora) como vós. Eu vo-lo peço, irmãos. Vós em nada me ofendestes. (ver nota)

13. Sabeis que da primeira vez vos preguei o Evangelho estando muito doente. E este corpo, que era uma prova para vós,

14. não o desprezastes nem rejeitastes, antes me recebestes como um anjo de Deus, como Cristo Jesus.

15. Onde está, pois, (agora) aquela vossa felicidade? Porque posso testemunhar que (então), se fosse possível, vós arrancaríeis os olhos para nos dar.

16. Tornei-me eu logo vosso inimigo, porque vos disse a verdade?

17. Esses (falsos apóstolos)mostram-se cheios de afeto por vós, mas não retamente ; antes querem-vos separar de nós, para serem objecto do vosso afeto.

18. É bom ser objecto de afeição, mas sempre, e não só quando estou presente entre vós.

19. Filhinhos meus — por quem eu sinto de novo as dores do parto, até que Jesus Cristo se forme em vós — (ver nota)

20. bem quisera eu estar agora convosco para adaptar a minha linguagem (segundo as vossas necessidades), porque estou perplexo a vosso respeito.

21. Dizei-me: vós, que quereis estar debaixo da lei, não entendeis a lei ?

22. Com efeito, está escrito que Abraão teve dois filhos: um da escrava e outro da (mulher) livre.

23. Mas o da escrava nasceu segundo a carne, e o da livre, (nasceu) em virtude da promessa;

24. tais coisas foram ditas por alegoria, porque estas duas mulheres são as duas alianças. Uma, a do monte Sinai, que gera para a escravidão ; esta é (figurada em) Agar,

25. porque o Sinai é um monte da Arábia, o qual corresponde à Jerusalém atual (isto é, a Sinagoga) a qual é escrava com seus filhos.

26. Mas aquela Jerusalém, que é de cima, (isto é, a Igreja de Jesus figurada em Sara) é livre e é nossa mãe.

27. Porque está escrito: Alegra-te, ó estéril, que não dás à luz, exulta e clama de alegria, tu que não estás de parto; porque são muitos mais os filhos da abandonada (como estéril), que daquela que tem marido (Is. 54, 1).

28. E vós, irmãos, sois filhos da promessa como Isaac.

29. Mas, assim como então aquele que tinha nascido segundo a carne perseguia o nascido segundo o espírito, assim (acontece) também agora.

30. Mas que diz a Escritura? Lança fora a escrava e o seu filho, porque o filho da escrava não será herdeiro com o filho da livre (Gn. 21, 10).

31. Por isso, irmãos, não somos filhos da escrava, mas da livre.





“Mesmo a menor transgressão às leis de Deus será levada em conta.” São Padre Pio de Pietrelcina