Encontrados 1013 resultados para: Cidade

  • E lançavam pó sobre as suas cabeças e clamavam, chorando e lamentando-se assim: "Aí, ai daquela grande cidade, de cujas riquezas se enriqueceram todos os que têm navios no mar! Num momento foi arruinada!" (Apocalipse 18, 19)

  • Então um anjo forte levantou uma pedra, como uma grande mó de moinho, e lançou-a ao mar, dizendo: "Com este ímpeto será precipitada Babilônia, a grande cidade, e não será jamais encontrada. (Apocalipse 18, 21)

  • Nesta cidade foi encontrado o sangue dos profetas e dos santos e de todos os que foram mortos sobre a terra." (Apocalipse 18, 24)

  • Subiram pela superfície da terra e cercaram os acampamentos dos santos e a cidade querida. Mas desceu do céu um fogo que os devorou. (Apocalipse 20, 9)

  • E vi a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, de junto de Deus, adornada Como uma esposa ataviada para o seu esposo. (ver nota) (Apocalipse 21, 2)

  • E transportou-me em espírito a uma grande e alta montanha e mostrou-me a cidade santa. Jerusalém, que descia do céu de junto de Deus, (Apocalipse 21, 10)

  • O muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os doze nomes dos doze Apóstolos do Cordeiro. (Apocalipse 21, 14)

  • E o que falava comigo tinha uma cana de ouro de medir, para medir a cidade, as suas portas e o muro. (Apocalipse 21, 15)

  • A cidade é quadrangular, tão comprida como larga. Mediu a cidade com a cana; doze mil estádios. O seu comprimento, a sua altura e a sua largura são iguais. (ver nota) (Apocalipse 21, 16)

  • O muro é construído de pedra de jaspe, e a cidade é de ouro puro, semelhante a puro cristal. (Apocalipse 21, 18)

  • Os fundamentos do muro da cidade são ornados de toda a qualidade de pedras preciosas. O primeiro fundamento é de jaspe; o segundo de safira; o terceiro de calcedónia; o quarto de esmeralda; (Apocalipse 21, 19)

  • As doze portas são doze pérolas; cada porta é feita de uma só pérola, e a praça da cidade é de ouro puro, translúcido como cristal. (Apocalipse 21, 21)


“Onde não há obediência, não há virtude. Onde não há virtude, não há bem, não há amor; e onde não há amor, não há Deus; e sem Deus não se chega ao Paraíso. Tudo isso é como uma escada: se faltar um degrau, caímos”. São Padre Pio de Pietrelcina