Talált 169 Eredmények: Paulo

  • Uma mulher, chamada Lídia, da cidade dos tiatirenos, vende­dora de púrpura, temente a Deus, nos escutava. O Senhor abriu-lhe o coração, para atender às coisas que Paulo dizia. (Atos dos Apóstolos 16, 14)

  • Pondo-se a seguir a Paulo e a nós, gritava: “Estes homens são servos do Deus Altíssimo, que vos anunciam o caminho da salvação”. (Atos dos Apóstolos 16, 17)

  • Repetiu isto por muitos dias. Por fim, Paulo enfadou-se. Voltou-se para ela e disse ao espírito: “Ordeno-te em nome de Jesus Cristo que saias dela”. E na mesma hora ele saiu. (Atos dos Apóstolos 16, 18)

  • Vendo seus amos que se lhes esvaecera a esperança do lucro, pegaram Paulo e Silas e levaram-nos ao foro, à presença das autoridades. (Atos dos Apóstolos 16, 19)

  • Pela meia-noite, Paulo e Silas rezavam e cantavam um hino a Deus, e os prisioneiros os escutavam. (Atos dos Apóstolos 16, 25)

  • Mas Paulo bradou em alta voz: “Não te faças nenhum mal, pois estamos todos aqui”. (Atos dos Apóstolos 16, 28)

  • Então, o carcereiro pediu luz, entrou e lançou-se trêmulo aos pés de Paulo e Silas. (Atos dos Apóstolos 16, 29)

  • O carcereiro transmitiu essa mensagem a Paulo: “Os magistrados mandaram-me dizer que vos ponha em liberdade. Saí, pois, e ide em paz”. (Atos dos Apóstolos 16, 36)

  • Mas Paulo replicou: “Sem nenhum julgamento nos açoitaram publicamente, a nós que somos cidadãos romanos, e meteram-nos no cárcere, e agora nos lançam fora ocultamente... Não há de ser assim! Mas venham e soltem-nos pessoalmente!”. (Atos dos Apóstolos 16, 37)

  • Paulo dirigiu-se a eles, segundo o seu costume, e por três sábados disputou com eles. (Atos dos Apóstolos 17, 2)

  • Alguns deles creram e associaram-se a Paulo e Silas, como também uma grande multidão de prosélitos gentios, e não poucas mulheres de destaque. (Atos dos Apóstolos 17, 4)

  • Logo que se fez noite, os irmãos enviaram Paulo e Silas para Bereia. Quando ali chegaram, entraram na sinagoga dos judeus. (Atos dos Apóstolos 17, 10)


“No tumulto das paixões terrenas e das adversidades, surge a grande esperança da misericórdia inexorável de Deus. Corramos confiantes ao tribunal da penitência onde Ele, com ansiedade paterna, espera-nos a todo instante.” São Padre Pio de Pietrelcina