1. Então cantou Judit ao Senhor este cântico:

2. Louvai o Senhor ao som dos tambores, cantai o Senhor ao som de címbalos, entoai-lhe um cântico novo, exaltai e invocai o seu nome.

3. O Senhor é quem põe fim às guerras. O Senhor é seu nome.

4. Ele pôs o seu acampamento no meio do seu povo, para nos livrar da mão de todos os nossos inimigos.

5. O Assírio veio dos montes, da parte do aquilão, com a multidão dos seus guerreiros; sua multidão obstruiu as torrentes, e os seus cavalos cobriam os vales.

6. Ele jurou que havia de queimar o meu país, que havia de passar ao fio da espada os meus jovens, que havia de dar em presa as minhas crianças, que havia de levar cativas as minhas donzelas.

7. Porém o Senhor todo poderoso o feriu e o entregou nas mãos duma mulher, que lhe tirou a vida.

8. O seu herói não foi prostrado ás mãos de jovens (guerreiros), nem o feriram os filhos de Titan, nem se lhe opuseram corpulentos gigantes, Mas Judit, filha de Merari, o derrubou com a formosura do seu rosto.

9. Ela se despiu do traje de viúva, e se ataviou com os vestidos de alegria, para o triunfo dos filhos de Israel.

10. Ela ungiu o seu rosto com perfumes, entrançou os seus cabelos sob um turbante e revestiu-se dum vestido novo para o seduzir.

11. As suas sandálias arrebataram-lhe os olhos, a sua beleza cativou-lhe a alma, e ela cortou-lhe a cabeça com o alfange.

12. Os Persas tremeram diante da sua valentia, os Medos diante da sua ousadia.

13. O acampamento dos Assírios ressoou em alaridos, quando apareceram os meus pobres (concidadãos) abrasados de sede.

14. Os filhos das jovens esposas traspassaram-nos, mataram-nos (sem resistência) como a meninos que fogem: pereceram no combate diante da face do Senhor meu Deus.

15. Cantemos um hino ao Senhor, cantemos um novo hino ao nosso Deus.

16. Adonai, Senhor, tu és grande, magnífico no teu poder, e ninguém pode superar-te.

17. Todas as tuas criaturas te obedeçam, porque tu falaste, e foram feitas; enviaste o teu espírito, e foram criadas, e ninguém resiste à tua voz.

18. Os montes e as águas são abalados desde os fundamentos, as pedras, qual cera, se derretem diante da tua face,

19. porém aqueles que vos temem, são grandes diante de ti em todas as coisas.

20. Ai da nação que se levantar contra o meu povo! porque o Senhor omnipotente se vingará dela, e a visitará no dia do juízo.

21. Ele enviará fogo e vermes sobre as suas carnes, para arderem e para sentirem (este suplício) eternamente.

22. Todo o povo, depois da vitória, foi a Jerusalém adorar o Senhor. Logo que se purificaram, todos ofereceram os seus holocaustos, cumprindo os seus votos e as suas promessas.

23. Judit ofereceu, em anátema de esquecimento, todos os instrumentos de guerra de Holofernes, que o povo lhe tinha dado, e o cortinado que ela mesma tinha tirado do leito dele.

24. O povo esteve em grande regozijo diante do santuário, e a alegria desta vitória foi celebrada com Judit por espaço de três meses.

25. Passados aqueles dias, cada um voltou para sua casa; Judit ficou sendo célebre em Betúlia, e com grande renome em toda a terra de Israel.

26. A coragem juntava a castidade, de tal sorte que nunca em todos os dias da sua vida conheceu outro homem, desde que morreu Manassés, seu marido.

27. Nos dias de festa aparecia em público com todos os seus Adornos.

28. Morou na casa de seu marido até à idade de cento e cinco anos, e deu a liberdade à sua escrava; morreu e foi sepultada em Betúlia com seu marido.

29. Todo o povo a chorou durante sete dias.

30. Em todo o tempo de sua vida, e muitos anos depois da sua morte, não houve quem perturbasse Israel.

31. O dia da festividade desta vitória foi posto pelo Hebreus na classe dos dias santos, e desde aquele tempo até hoje é festejado pelos judeus.





“É sempre necessário ir para a frente, nunca para trás, na vida espiritual. O barco que pára em vez de ir adiante é empurrado para trás pelo vento.” São Padre Pio de Pietrelcina