1. Depois disto, houve uma festa dos Judeus e Jesus subiu a Jerusalém.

2. Ora há em Jerusalém, junto da porta das Ovelhas, uma piscina, que em hebreu se chama Bezatha, a qual tem cinco pórticos

3. Nestes jazia uma multidão de enfermos, cegos, coxos, paralíticos, os quais esperavam o movimento da água.

4. Porque um anjo do Senhor descia de tempos a tempos à piscina, e agitava a água. O primeiro que descesse à piscina, depois do movimento da água, ficava curado de qualquer doença que tivesse.

5. Estava ali um homem que, há trinta e oito anos, se encontrava enfermo.

6. Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim há muito, disse-lhe: "Queres ficar são?"

7. O enfermo respondeu- lhe: "Senhor, não tenho uma pessoa que me lance na piscina, quando a água é agitada; enquanto eu vou, outro desce primeiro do que eu."

8. Jesus disse-lhe: "Levanta-te, toma o teu leito e anda."

9. No mesmo instante, ficou são aquele homem, tomou o seu leito e começou a andar. Ora aquele dia era um sábado,

10. Por isso os Judeus diziam ao que tinha sido curado: "Hoje é sábado, não te é licito levar o teu leito."

11. Ele respondeu-lhes: "Aquele que me curou, disse-me: Toma o teu leito, e anda."

12. Perguntaram- lhe então: "Quem é esse homem que te disse: Toma o teu leito e anda?"

13. Porém o que tinha sido curado não sabia quem ele era, porque Jesus havia desaparecido sem ser notado, graças à multidão que estava naquele lugar.

14. Depois disto, Jesus encontrou-o no templo e disse-lhe: "Eis que estás são; não peques mais, para que te não suceda coisa pior."

15. Foi aquele homem anunciar aos Judeus que era Jesus quem o tinha curado.

16. Por isto os Judeus perseguiam Jesus, porque fazia estas coisas ao sábado.

17. Mas Jesus respondeu-lhes: "Meu Pai não cessa de operar, e eu opero também."

18. Por isso, os Judeus procuravam com maior ardor matá-lo, porque não somente violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu Pai, fazendo-se igual a Deus, Jesus respondeu, pois, e disse-lhes:

19. Em verdade, em verdade vos digo: O Filho não pode de si mesmo fazer coisa alguma, mas somente o que vir fazer ao Pai; porque tudo o que fizer o Pai, o faz igualmente o Filho.

20. Porque o Pai ama o Filho, e mostra-lhe tudo o que faz; e lhe mostrará maiores obras do que estas, até ao ponto de vós ficardes admirados.

21. Porque assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá vida, assim também o Filho dá vida àqueles que quer

22. O Pai a ninguém julga, mas deu ao Filho todo o poder de julgar,

23. afim de que todos honrem o Filho como honram o Pai. O que não honra o Filho, não honra o Pai, que o enviou.

24. Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não incorre na sentença da condenação, mas passou da morte para vida.

25. Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem, viverão.

26. Com efeito assim como o Pai tem a vida em si mesmo, assim deu ao Filho ter vida em si mesmo;

27. e deu-lhe o poder de julgar, porque é Filho do homem

28. Não vos admireis disso, porque virá tempo em que todos os que se encontram nos sepulcros ouvirão a sua voz,

29. e os que tiverem feito obras boas sairão para a ressurreição da vida, mas os que tiverem feito obras más, sairão ressuscitados para a condenação.

30. Não posso de mim mesmo fazer coisa alguma. Julgo segundo o que ouço (de meu Pai), e o meu juízo é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

31. Se dou testemunho de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro.

32. Outro é o que dá testemunho de mim; e sei que é verdadeiro o testemunho que dá de mim.

33. Vós enviastes (mensageiros) a João, e ele deu testemunho da verdade.

34. Eu, porém, não recebo o testemunho do homem, mas digo-vos estas coisas, a fim de que sejais salvos.

35. João era uma lâmpada ardente e luminosa. E vós poucos momentos quisestes gozar da sua luz.

36. Mas tenho um testemunho maior que o de João: as obras que meu Pai me deu que cumprisse, estas mesmas obras que eu faço, dão testemunho de mim, de que o Pai me enviou.

37. E o Pai que me enviou, esse mesmo deu testemunho de mim. Vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes a sua face,

38. não tendes permanente em vós a sua palavra, porque não credes no que ele enviou.

39. Examinais as Escrituras, visto que julgais ter nelas a vida eterna: elas são as que dão testemunho de mim.

40. E não quereis vir a mim, para terdes vida.

41. A glória, não a recebo dos homens,

42. mas sei que não tendes em vós o amor de Deus.

43. Vim em nome de meu Pai, e vós não me recebeis; se vier outro em seu próprio nome, recebê-lo-eis.

44. Como podeis crer, vós que recebeis a glória uns dos outros, e não buscais a glória que só de Deus vem?

45. Não julgueis que sou eu que vos hei-de acusar diante do Pai; Moisés, em quem vós confiais, é que vos acusará.

46. Se crêsseis em Moisés, certamente creríeis também em mim, porque ele escreveu de mim.

47. Porém, se não dais crédito aos seus escritos, como haveis de dar crédito às minhas palavras?"





“É sempre necessário ir para a frente, nunca para trás, na vida espiritual. O barco que pára em vez de ir adiante é empurrado para trás pelo vento.” São Padre Pio de Pietrelcina