1. Ana pronunciou esta prece: “Exulta o meu coração no Senhor, nele se eleva a minha força; a minha boca desafia os meus adversários, porque me alegro na vossa salvação.

2. Ninguém é santo como o Senhor. Não existe outro Deus, além de vós, nem rochedo semelhante ao nosso Deus.

3. Não multipliqueis palavras orgulhosas, não saia da vossa boca linguagem arrogante, porque o Senhor é um Deus que tudo sabe; por ele são pesadas as ações.

4. Quebra-se o arco dos fortes, enquanto os fracos se revestem de vigor.

5. Os abastados se assalariam para ganhar o que comer, enquanto os famintos são saciados. Sete vezes dá à luz a estéril, enquanto a mãe de numerosos filhos definha.

6. O Senhor dá a morte e a vida, faz descer à habitação dos mortos e de lá voltar.

7. O Senhor empobrece e enriquece; humilha e exalta.

8. Levanta do pó o mendigo, do esterco retira o indigente, para fazê-los sentar-se entre os nobres e outorgar-lhes um trono de honra, porque do Senhor são as colunas da terra. Sobre elas estabeleceu o mundo.

9. Dirige os passos dos seus fiéis, enquanto os ímpios perecem nas trevas; porque homem algum vence pela força.

10. Ó Senhor, sejam esmagados os vossos adversários! Dos céus troveje o Altíssimo contra eles, o Senhor julgue os últimos confins da terra! Dará força ao seu rei e engrandecerá o poder do seu ungido”.*

11. Elcana voltou para a sua casa em Ramá; o menino ficou a serviço do Senhor junto do sacerdote Heli.

12. Os filhos de Heli eram maus; não conheciam o Senhor.*

13. Eis como se comportavam para com o povo: Quando alguém imolava uma vítima, vinha o servo do sacerdote no momento em que se cozia a carne, com um garfo de três dentes,

14. e fincava-o na caldeira, na marmita, na panela ou no tacho e tudo o que o tridente trazia, tomava-o para o sacerdote. Assim faziam a todos os israelitas que vinham a Silo.

15. Antes que queimassem a gordura, vinha o servo do sacerdote dizer ao que sacrificava: “Dá-me a carne de assar para o sacerdote; ele não aceitará carne cozida, mas unicamente a carne crua”.

16. O homem respondia-lhe: “É preciso que se queime antes a gordura; depois disso, tomarás o que quiseres”. “Não – respondia o servo –, dá-me logo, senão tomarei à força.”

17. Era muito grande a iniquidade desses moços aos olhos de Deus, porque atraíam o desprezo sobre as ofertas feitas ao Senhor.

18. Entretanto, Samuel, ainda criança, servia diante do Senhor, trajando um efod de linho.

19. Sua mãe fazia-lhe cada ano uma pequena túnica, que lhe levava quando subia com o seu marido para o sacrifício anual.

20. Heli abençoava Elcana e sua mulher: “Conceda-te o Senhor filhos desta mulher em recompensa do dom que ela lhe faz!”. E voltavam para a sua casa.

21. O Senhor visitou Ana e ela concebeu, dando à luz três filhos e duas filhas. E o menino Samuel crescia na companhia do Senhor.

22. Heli era muito velho; sabia tudo o que faziam os seus filhos com os israe­litas e como eles dormiam com as mulheres que estavam de serviço à entrada da tenda da reunião.

23. “Por que – dizia-lhes, procedeis desta forma? Sei que todo o povo fala de vossas desordens.

24. Não façais assim, meus filhos; não são boas as informações que me chegam a vosso respeito. Estais fazendo pecar o povo do Senhor.

25. Se um homem pecar contra outro, Deus o julga; se ele pecar, porém, contra o Senhor, quem intervirá a favor dele?” Mas não ouviam a voz do seu pai, porque Deus os queria perder.

26. Entretanto, o menino Samuel ia crescendo e era agradável tanto ao Senhor como aos homens.

27. Certo dia, um homem de Deus veio ter com Heli e disse-lhe da parte do Senhor: “Não me revelei eu claramente à casa de teu pai, quando eles estavam no Egito a serviço do faraó?

28. Escolhi os teus dentre todas as tribos de Israel para serem sacerdotes, subirem ao meu altar, queimarem o incenso e vestirem o efod diante de mim. Dei à casa de teu pai todos os sacrifícios oferecidos pelos israe­litas.

29. Por que desprezais os meus sacrifícios e as minhas oblações que estabeleci em minha morada? Fazes mais caso dos teus filhos que de mim, engordando-vos com o melhor de todas as ofertas de meu povo de Israel.

30. Por isso, eis o que diz o Senhor, Deus de Israel: Eu tinha dito que a tua casa e a casa de teu pai serviriam para sempre diante de mim. Mas agora, diz o Senhor, não será mais assim. Eu honro aqueles que me honram e desprezo os que me desprezam.

31. Virão dias em que abaterei o teu vigor e o vigor da casa de teu pai, de tal modo que já não haverá ancião em tua casa.*

32. Israel estará cumulado de alegria e tu verás a angústia em tua casa. Não haverá jamais ancião em tua família!

33. Entretanto, não cortarei todos os teus do meu altar, para que se consumam de inveja os teus olhos e se desfaleça a tua alma; mas todos os outros morrerão na flor da idade.

34. O que vai acontecer aos teus dois filhos Hofni e Fineias, será para ti um sinal: morrerão ambos no mesmo dia.

35. Suscitarei para mim um sacerdote fiel, que procederá segundo o meu coração e minha vontade. Eu lhe construirei uma casa durável e ele andará sempre diante do meu ungido.*

36. Aqueles que sobreviverem de tua família irão prostrar-se diante dele por uma moeda de prata ou por um pedaço de pão, dizendo-lhe: ‘Admiti-me para alguma função sacerdotal, a fim de que eu tenha um bocado de pão para comer’.”

Bíblia Ave Maria - Tutti i diritti riservati.

2,10. Seu ungido (em hebraico seu Messias, em grego seu Cristo) designa em primeiro plano Davi e, em plano mais longínquo, visto como que por transparência, Jesus Cristo. – Esse belo cântico serviu de inspiração para o Magnificat: Lc 1,46-55.

2,12. Maus: literalmente – filhos de Belial.

2,31. Teu vigor: literalmente – teu braço.

2,35. Um sacerdote fiel: Sadoc.




“No tumulto das paixões terrenas e das adversidades, surge a grande esperança da misericórdia inexorável de Deus. Corramos confiantes ao tribunal da penitência onde Ele, com ansiedade paterna, espera-nos a todo instante.” São Padre Pio de Pietrelcina