1. Depois destas coisas, naquele tempo Nabot de Jezrael possuia uma vinha que estava em Jezrael, junto do palácio de Acab, rei de Samaria.

2. Acab falou a Nabot, dizendo: Dá-me a tu a vinha, a fim de eu fazer uma horta para mim, porque está junto de minha casa, e dar-te-ei por e la uma vinha melhor, ou, se te faz mais conta, o seu justo preço em dinheiro.

3. Nabot respondeu-lhe: Deus me livre de te dar a herança de meus pais!

4. Foi Acab para sua casa, mal disposto e encolerizado, por causa da resposta que Nabot Jezraelita lhe dera: Eu não te entregarei a herança de meus pais. Deitando-se sobre a sua cama, voltou o rosto para a parede e não quis comer nada.

5. Jezabel, sua mulher, foi ter com ele e disse-lhe: Que é isto? Donde te vem esta tristeza? Por que não comes?

6. Ele respondeu-lhe: Falei a Nabot de Jezrael e propus-lhe: Vende-me a tu a vinha, ou se te faz mais conta, dar-te-ei por ela outra vinha melhor. Ele respondeu-me: Eu não te cederei a minha vinha.

7. Disse-lhe então Jezabel, sua mulher: Não és tu o rei de Israel? Levanta-te, come e sossega o teu espírito; eu te darei a vinha de Nabot de Jezrael.

8. Escreveu ela, pois, uma carta em nome de Acab, selou-a com o selo do rei, e enviou-a aos anciães e aos principais, que habitavam na cidade de Nabot.

9. O assunto da carta era este: Promulgai um jejum, fazei sentar Nabot entre os primeiros do povo,

10. e subornai contra ele dois homens, filhos de Belial, que profiram contra ele este falso testemunho: Nabot blasfemou contra Deus e contra o rei; depois, levai-o fora da cidade e apedrejai-o até que morra.

11. Os seus concidadãos, anciães e os que viviam com ele na cidade, fizeram como Jezabel lhes tinha mandado, como estava escrito na carta que ela lhes enviara.

12. Promulgaram o jejum e fizeram sentar Nabot entre os primeiros do povo.

13. Tendo mandado vir dois homens, filhos do demônio, fizeram-nos sentar defronte dele; eles, como homens diabólicos, deram testemunho contra Nabot, diante do povo, dizendo: Nabot blasfemou contra Deus e contra o rei. Em virtude deste testemunho (falso) conduziram-no fora da cidade, e mataram-no às pedradas.

14. Depois mandaram dizer a Jezabel: Nabot foi apedrejado e morreu.

15. Quando Jezabel ouviu que Nabot fora apedrejado e morrera, foi dizer a Acab: Vai e torna-te senhor da vinha de Nabot de Jezrael, que te não quis fazer a vontade, cedendo-ta, pelo devido preço, porque Nabot foi lapidado e morreu.

16. Acab, tendo ouvido dizer que Nabot tinha morrido, levantou-se e ia para a vinha de Nabot de Jezrael, a fim de se apossar dela.

17. Então o Senhor dirigiu a sua palavra a Elias Tesbita, dizendo:

18. Levanta-te e sai ao encontro de Acab, rei de Israel, que está em Samaria: ele vai à vinha de Nabot, para tomar posse dela.

19. Tu lhe falarás assim: Eis o que diz o Senhor: Mataste-lo e, além disso, tomas agora posse (da vinha do assassinado). Depois acrescentarás: Isto diz o Senhor: Neste lugar, em que os cães lamberam o sangue de Nabot, lamberão eles também o teu sangue.

20. Acab disse a Elias: Porventura tens-me por teu Inimigo (para que assim profetizes contra mim)? Elias respondeu-lhe: Sim, tenho-te por tal, porque te vendeste, para fazeres o mal aos olhos do Senhor.

21. Farei cair o mal sobre ti, varrer-te-ei, exterminarei da família de Acab, em Israel, todo o varão, escravo ou livre.

22. Tornarei a tua casa como a casa de Jeroboão, filho de Nabat, e como a casa de Baasa, filho de Ala, porque procedeste de modo que me provocaste à ira, e fizeste pecar Israel.

23. E o Senhor falou também de Jezabel, assim: Os cães comerão Jezabel no campo de Jezrael.

24. Todo o que, da casa de Acab, morrer na cidade, comê-lo-ão os cães; o que morrer no campo, comê-lo-ão as aves do céu.

25. Não houve outro semelhante a Acab, que se vendeu para fazer o mal aos olhos do Senhor, porque Jezabel, sua mulher, o incitou.

26. Ele tornou-se tão abominável, que seguia os ídolos dos Amorreus, que o Senhor tinha exterminado da face dos filhos de Israel.

27. Quando Acab ouviu estas palavras, rasgou as suas vestes, cobriu a sua carne de um cilício, jejuou, dormiu envolto no saco e andou de cabeça baixa.

28. Então o Senhor dirigiu a sua palavra a Elias Tesbita, nestes termos:

29. Não viste Acab humilhado diante mim? Porque ele, pois, se humilhou, em atenção a mim, não farei vir aquele mal enquanto ele viver, mas nos dias de seu filho o farei vir sobre a sua casa.





“O grau sublime da humildade é não só reconhecer a abnegação, mas amá-la.” São Padre Pio de Pietrelcina