1. E mandou dizer-lhe (sem dúvida que foi Mardoqueu) que se apresentasse ao rei, para Ihe rogar pelo seu povo e pela sua pátria.

2. Lembra-te (lhe disse) dos dias da tua humilhação, de como foste criada pela minha mão. Aman, que é o segundo depois do rei, tem falado contra nós para nos fazer morrer;

3. tu, pois, invoca o Senhor e fala por nós ao rei; livra-nos da morte. E também encontrei o que se segue:

4. No dia terceiro, (Ester) depôs os vestidos que trazia e adornou-se com os da sua glória.

5. Brilhando neste traje real e invocando a Deus, que é governador e salvador de todos, tomou duas das suas criadas.

6. la-se apoiando sobre uma delas, como se, por debilidade, não pudesse suster o seu corpo delicado.

7. A outra criada ia atrás da sua senhora, segurando a extremidade das suas longas vestes.

8. (Ester) com a cor de rosa em seu rosto e com os olhos graciosos e brilhantes, ocultava a tristeza do seu coração, penetrado de um vivo temor.

9. Tendo passado, uma por uma, todas as portas, pôs-se diante do rei. Assuero estava sentado sobre o sólio real, vestido de manto real, resplandecendo com o ouro e pedras preciosas, e o seu aspecto era terrível.

10. Tendo ele levantado o rosto e manifestado em seus olhos cintilantes o furor do seu peito, a rainha desmaiou, e, trocando-se a sua cor em palidez, deixou cair a sua cabeça vacilante sobre a criada.

11. Então Deus amansou o coração do rei, o qual, apressado e inquieto, desceu rapidamente do trono, e, sustendo-a com seus braços até que voltou a si, a animava com estas palavras:

12. Que tens, Ester? Eu sou teu irmão, não temas. (ver nota)

13. Não morrerás, porque esta lei não foi feita para ti, mas só para todos os outros.

14. Aproxima-te, pois, e toca o ceptro.

15. Como ela não falasse, tomou o ceptro de ouro, pôs-lho sobre o seu colo, beijou-a e disse; Por que não me falas?

16. Ela respondeu-lhe: Eu vi-te, senhor, como um anjo de Deus, e o meu coração turbou-se com o temor da tua majestade,

17. porque tu, senhor, és digno de admiração, e o teu rosto cheio de graças.

18. Estando ainda a falar, desfaleceu de novo e ficou sem sentidos.

19. O rei estava consternado, e todos os seus servidores procuravam reanimá-la.





“Aquele que procura a vaidade das roupas não conseguirá jamais se revestir com a vida de Jesus Cristo.” São Padre Pio de Pietrelcina