Encontrados 180 resultados para: CORA«AO DE PEDRA

  • (O ouro dessa regi√£o √© puro; encontra-se ali tamb√©m o bd√©lio e a pedra de √īnix.) (G√™nesis 2, 12)

  • No dia seguinte, pela manh√£, tomou Jac√≥ a pedra: sobre a qual repousara a cabe√ßa e a erigiu em estela, derramando √≥leo sobre ela. (G√™nesis 28, 18)

  • Esta pedra da qual fiz uma estela ser√° uma casa de Deus, e pagarei o d√≠zimo de tudo o que me derdes‚ÄĚ. (G√™nesis 28, 22)

  • Olhando em torno de si, viu no campo um po√ßo junto do qual estavam dei¬≠tados tr√™s rebanhos de ovelhas. Esse po√ßo servia de bebedouro para os reba¬≠nhos. Mas, sendo grande a pedra que cobria a abertura do po√ßo (G√™nesis 29, 2)

  • somente a removiam de cima quando todos os rebanhos fossem recolhidos. Davam ent√£o de beber aos animais e recolocavam a pedra no seu devido lugar. (G√™nesis 29, 3)

  • ‚ÄúN√£o o podemos ‚Äď responde¬≠ram eles ‚Äď antes que todos os rebanhos estejam reunidos. Tiramos ent√£o a pedra de cima do po√ßo e damos de beber aos animais.‚ÄĚ (G√™nesis 29, 8)

  • Logo que Jac√≥ viu Raquel, filha de Lab√£o, irm√£o de sua m√£e, aproximou-se, rolou a pedra de cima da boca do po√ßo e deu de beber √†s ovelhas de Lab√£o. (G√™nesis 29, 10)

  • Jac√≥ tomou uma pedra e erigiu-a em estela, (G√™nesis 31, 45)

  • mas, seu arco permanece firme, seus bra√ßos e m√£os desembara√ßados pelas m√£os do Poderoso de Jac√≥, pelo nome do Pastor, que √© a pedra de Israel, (G√™nesis 49, 24)

  • Sefra tomou ent√£o uma pedra afiada, cortou o prep√ļcio de seu filho e atirou-o aos p√©s de Mois√©s, dizendo: ‚ÄúTu me √©s um esposo de sangue!‚ÄĚ. (√äxodo 4, 25)

  • O Senhor disse a Mois√©s: ‚ÄúDize a Aar√£o: toma a tua vara e estende a m√£o sobre as √°guas do Egito, sobre os seus rios e seus canais, sobre seus lagos e seus reservat√≥rios, para que essas √°guas se tornem sangue. Haver√° sangue em todo o Egito, assim nos recipientes de madeira como nos de pedra‚ÄĚ. (√äxodo 7, 19)

  • o abismo os cobriu; afundaram-se nas √°guas como pedra. (√äxodo 15, 5)


‚ÄúA pr√°tica das bem-aventuran√ßas n√£o requer atos de hero√≠smo, mas a aceita√ß√£o simples e humilde das v√°rias prova√ß√Ķes pelas quais a pessoa passa.‚ÄĚ S√£o Padre Pio de Pietrelcina