Tag: Rosário (Página 1 de 2)

Poloneses se reúnem na fronteira e por todo o país para rezar o Rosário

“Dai-me um exército que reze o Rosário e eu vencerei o mundo.” – São Pio X

7 de outubro: Dia de Nossa Senhora do Rosário, comemoração da vitória naval católica de Lepanto sobre os muçulmanos turcos e dia em que a Polônia novamente demonstrou de maneira memorável a fé e o valor de seu povo.

Um evento chamado Rosário na Fronteira organizado pelos leigos da Solo Dios Basta (Só Deus Basta) e aprovado pela hierarquia católica polonesa atraiu cerca de um milhão de fiéis em diversas localidades do país no último sábado (7), do Mar Báltico no norte até as montanhas na fronteira com a Eslováquia e a República Tcheca ao sul, formando uma cadeia humana unida com a intenção de Salvar (no sentido pleno) o mundo e a Polônia, contra a crescente secularização e a islamização da Europa. Veja as fotos abaixo, tiradas por todo o território.

As motivações principais para 7 de outubro de 2017 ser o dia escolhido foram as seguintes:

-Foi a festa de Nossa Senhora do Rosário, que comemora a vitória cristã sobre as forças muçulmanas na Batalha de Lepanto;

-Foi o primeiro sábado do mês, e há uma devoção dos Primeiros Sábados revelada pela Santíssima Virgem Maria de Fátima a Ir. Lúcia;

-Este ano é o 140º aniversário da aparição de Nossa Senhora em Gietrzwald, uma aparição famosa na Polônia;

-É também o 100º aniversário da aparição de Nossa Senhora de Fátima.

A oração, iniciada por volta das 14h (horário local) em aeroportos, campos, estradas e 319 igrejas localizadas na fronteira, teve o apoio da primeira-ministra, e um comunicado dos bispos estabeleceu que as famílias poderiam rezar em suas casas, os doentes em hospitais e as comunidades paroquiais em suas igrejas, para que todos, mesmo impossibilitados de chegarem até os limites territoriais do país, pudessem participar. Muitos enfrentaram chuva e o tempo ruim, alguns viajaram centenas de quilômetros para agradecer por intenções particulares realizadas: todos reconhecendo o poder do Rosário e seu indelével significado.

Iniciando com uma Missa na manhã de sábado, o arcebispo Marek Jedraszewski, de Cracóvia, exortou os fiéis a “orarem por outras nações da Europa e do mundo para entender que precisamos voltar às raízes cristãs da cultura europeia se quisermos que a Europa permaneça sendo Europa”.

O padre Paweł Rytel-Andrianik, porta-voz da Conferência dos Bispos poloneses, disse que o evento foi um dos maiores da História na Europa, ficando atrás somente da Jornada Mundial da Juventude de 2016, também na Polônia.

Screen-Shot-2017-10-07-at-10.02.41-PM
O importante apoio da primeira-ministra polonesa através do Twitter, agradecendo os participantes

A mídia já começa, como de praxe, com insinuações sujas, associando o ato ao preconceito, xenofobia, racismo e escarnecendo desta grande demonstração de fé. Tremam, laicistas e progressistas: A Polônia Católica vive!

Fonte: Castelo Histórico

Livros Recomendados:

https://livraria.bibliacatolica.com.br/produto/santo-rosario/

https://livraria.bibliacatolica.com.br/produto/o-rosario-da-santissima-virgem-maria/

https://livraria.bibliacatolica.com.br/produto/o-rosario-a-prece-que-salvou-minha-vida/

O que representa o número 153 em relação ao Rosário

Em seu livro “Mistério da história”, Raoul Auclair nos indica o que ele chama de o mistério, o arcano do número 153, como meditava Santo Agostinho. Trata-se do número de peixes cuidadosamente contados por São João em seu relato sobre a segunda pesca milagrosa.

De fato, 153 é a extensão do número triangular 17, que ocupa o primeiro lugar na sequência de números absolutos que são os números primos. Então, este número aparece como um indicador sagrado, por excelência.

Assim, descobrimos que o número 153 se refere, exatamente, ao número de dias que decorreram entre a primeira aparição da Senhora do Rosário em Fátima e a última, ocorrida em 13 de outubro de 1917. E, mais: cada Ave Maria, na língua latina da Igreja, tem 153 letras, e o próprio Rosário tem 153 Ave-Marias.

Raoul Auclair releva, ainda, alguns outros fatos que destacam o número 153, como uma assinatura da Senhora do Rosário, sobre os acontecimentos de Fátima.

Abade Richard
No jornal L’Homme Nouveau (O Homem novo) – janeiro de 1963

E também em:
mariedenazareth.com

Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco.
Bendita sois Vós entre as mulheres, bendito é o fruto de Vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte.
Amém.

Você sabia que é possível ganhar indulgências com o Santo Rosário?

Muitas pessoas escreveram sobre o poder espiritual do Santo Rosário, mas talvez algo pouco conhecido é a graça da indulgência que é possível ganhar com esta devoção mariana que, segundo a tradição, foi dada pela própria Mãe de Deus.

São João Paulo II em sua Carta Apostólica Rosarium Virginis Mariae (Rosário da Virgem Maria, 37) assinalou que “para fomentar esta projeção eclesiástica do Rosário, a Igreja quis enriquecê-lo com santas indulgências para quem o recita com as devidas disposições”.

A respeito, a Concessão 17 da Enchiridion Indulgentiarum (Manual de Indulgências) da Penitenciária Apostólica do Vaticano, indica que “confere-se uma indulgência plenária se o Terço for rezado em uma igreja ou em um oratório público ou em família, em uma comunidade religiosa ou em piedosa associação”.

Do mesmo modo, a indulgência é concedida ao fiel que “se une devotamente à recitação dessa mesma devoção quando é feita pelo Supremo Pontífice e é transmitida através da televisão ou do rádio. Em outras circunstâncias ganha a indulgência parcial”.

Em seguida, explica que, “se a obra, enriquecida com a indulgência plenária, se pode dividir ajustadamente em partes (como o Rosário de Nossa Senhora em dezenas), quem por motivo razoável não terminou a obra por inteiro, pode ganhar a indulgência parcial pela parte que fez”.

Nesse sentido, destaca que no caso da oração vocal “deve acrescentar a devota meditação dos mistérios” e que na oração pública, “os mistérios devem ser meditados conforme o costume aprovado no local; mas na recitação privada, basta que o fiel acrescente à oração vocal a meditação dos mistérios”.

Como se sabe, só é possível ganhar uma indulgência plenária por dia (exceto em perigo de morte). É possível obtê-la se cumprir as devidas disposições que a Igreja pede, ou seja, a confissão sacramental, a comunhão eucarística e as orações pelas intenções do Papa. Se desejar, a indulgência pode-se ganhar a indulgência para um falecido.

Sobre o objeto do Rosário

Por outro lado, o Beato Paulo VI estabeleceu em sua Constituição Apostólica Indulgentiarum Doctrina (Doutrina das indulgências, Norma 17), que “aos fiéis que utilizam religiosamente um objeto de piedade (crucifixo, cruz, terço, escapulário, medalha), validamente abençoado por um padre, concede-se indulgência parcial”.

“Além disso, se o objeto de piedade foi bento pelo Soberano Pontífice ou por um bispo, os fiéis que religiosamente o usam podem também obter a indulgência plenária no dia da festa dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, ajuntando, porém, a profissão de fé sob uma forma legitima”.

Com relação a este assunto, o Pe. Jhon Phalen, Csc, grande propagador da devoção do Santo Rosário em Família, advertiu que usar com devoção um objeto de piedade significa rezar.

“Eu acredito que carregar uma cruz ou até o Rosário é como uma profissão de fé. Mas o Rosário em si, mais do que o objeto concreto, é a oração. Então deverá rezá-lo”, esclareceu o sacerdote. “De outra forma pode parecer que há muita fé no objeto e não em Deus… o objeto nos ajuda a nos comunicarmos, relacionarmos com Deus”, acrescentou.

Portanto, não basta carregar o Rosário no pescoço, no bolso ou a bolsa para ganhar a indulgência parcial, mas deve ser usado na oração, para nos aproximar mais de Deus na própria vida.

Como rezar o Terço

Como rezar o Terço

† Pelo sinal… † Em Nome do Pai…

  • Oferecimento
  • Creio
  • Pai-Nosso
  • 3 Ave-Marias
  • Salve Rainha

Anuncie sucessivamente:

  • Cada um dos 5 Mistérios
  • Pai-Nosso
  • 10 Ave-Marias
  • Glória ao Pai
  • Jaculatória (à sua escolha)
  • Agradecimento
  • Salve Rainha
  • Ladainha

Rosário de Nossa Senhora

  1. † Pelo sinal da Santa Cruz, † livrai-nos, Deus, Nosso Senhor, † dos nossos inimigos. Em nome do Pai e do Filho † e do Espírito Santo. Amém.
  2. Oferecimento: Divino Jesus, que a nós viestes para a nossa salvação, nós vos oferecemos este Rosário [este Terço], durante o qual vamos contemplar os mistérios da nossa Redenção, desde a vossa Infância e divinos Ensinamentos até a vossa Paixão e Glorificação. Pela intercessão de Maria, vossa Mãe Santíssima, concedei-nos a graça de rezá-lo com tal piedade e afeto, que vos agrade e seja de grande proveito para mim e para as intenções de vivos e falecidos, que neste momento vos apresento…

    (Reza-se o Creio)

  3. Creio em Deus Pai, Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra. E em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo. Nasceu da Virgem Maria. Padeceu sob Pôncio Pilatos. Foi crucificado, morto e sepultado. Desceu à mansão dos mortos; ressuscitou ao terceiro dia. Subiu aos céus. Está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso, donde há de vir julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.

    Após o Creio, reza-se um Pai-nosso, três Ave-Marias e o Glória.

  4. Pai Nosso, que estais nos céus! Santificado seja o vosso nome. Venha a nós o vosso Reino. Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. O pão nosso de cada dia dai-nos hoje. Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos e quem nos tem ofendido. E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.
  5. Ave, Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco! Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amém.
  6. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo – Como era no princípio, agora e sempre. Amém.

    No final de cada Mistério, após o Glória, pode-se rezar a Jaculatória abaixo, ou outra à escolha.

  7. Ó meu Jesus, perdoai-nos! Livrai-nos do fogo do inferno! Levai as almas todas para o céu e socorrei principalmente as que mais precisarem  (da vossa misericórdia).

Mistérios Gozosos (da infância)

Segundas-feiras e sábados
  1. A Anunciação do Arcanjo São Gabriel a Nossa Senhora
    A Virgem Maria foi saudada pelo Arcanjo São Gabriel e lhe foi anunciado que havia de conceber e dar à luz Jesus Cristo, nosso Redentor (cf. Lc 1,26-38).

    Pai-nosso, dez Ave-Marias, Glória ao Pai.

  2. A visita de Nossa Senhora à sua prima Santa Isabel
    A Virgem Maria foi visitar sua prima Santa Isabel. São João Batista, ainda no ventre da mãe, ao ouvir a voz da Mãe de Deus, estremeceu de júbilo (cf. Lc 1,39-56).
  3. O Nascimento de Jesus na gruta de Belém
    A Virgem Maria deu à luz seu Divino Filho, Jesus, em uma gruta nas cercanias de Belém, por não haver lugar para eles na estalagem da cidade (cf. Lc 2,1-21).
  4. A apresentação do Menino Jesus no Templo
    A Virgem Maria apresentou seu Divino Filho no Tempo, onde o velho Simeão profetizou que Ele viera ao mundo para ser um sinal de contradição e que uma espada de dor transpassaria a alma de sua Mãe (cf. Lc 2,22-38).
  5. Encontro de Jesus no Templo entre os doutores da lei
    A Virgem Maria tendo perdido seu Divino Filho, que ficara em Jerusalém, encontrou-o no Tempo, depois de três dias de penosa busca, discutindo com os doutores da Lei (cf. Lc 2,40-50).

    Após o último Mistério, reza-se o Agradecimento, a Salve-Rainha e a Ladainha.

Mistérios Dolorosos (da Dor)

Terças e sextas-feiras
  1. A agonía de Jesus no Horto das Oliveiras
    Nosso Senhor Jesus Cristo, no Horto das Oliveiras, pediu ao Pai: Meu Pai, se é possível, afasta de mim este cálice! Todavia, não se faça o que eu quero, e sim o que tu queres (cf. Lc 22, 39-46).
  2. A prisão e flagelação de Jesus
    Atado a uma coluna, Nosso Senhor Jesus Cristo foi flagelado cruel e brutalmente, por ordem de Pilatos, não obstante haver este reconhecido e proclamado sua completa inocência (cf. Mc 15, 1-15).
  3. A coroação de espinhos
    Soldados do governador romano cuspiram em Jesus, cobriram-lhe o rosto, deram-lhe socos, tapas e bofetadas, coroaram-no de espinhos e de outros modos o humilharam (cf. Mt 27,27-30).
  4. Subida dolorosa ao Calvário
    Jesus Cristo Nosso Senhor, condenado à morte por Pilatos, já extenuado, com imenso esforço e paciência, carregou o lenho da Cruz até o alto do Calvário (cf. Mc 15,20-23; Lc 23,26-32).
  5. A crucifixão e morte de Jesus
    Despido e pregado na Cruz entre dois malfeitores, Nosso Senhor Jesus agonizou durante horas e morreu à vista de sua Mãe Santíssima e de inimigos que não cessavam de insultá-lo (cf. Mt 27,45-50; João 19,18-24).

Mistérios Gloriosos (de Glória)

Quartas-feiras e domingos
  1. A Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo
    Nosso Senhor Jesus Cristo, triunfando da morte e do pecado, ressuscitou ao terceiro dia, imortal e radiante de glória (cf. Mt 28,1-15; Jo 20,1-18).
  2. A Ascensão gloriosa de Jesus Cristo aos Céus
    Nosso Senhor Jesus Cristo, quarenta dias depois de sua Ressurreição, subiu aos Céus, diante de sua Mãe Santíssima e dos apóstolos, tomados de admiração (cf. Mc 16,19-20; Lc 24,50-53).
  3. Descida do Espírito Santo sobre os apóstolos
    Nosso Senhor Jesus Cristo enviou o Espírito Santo sobre Maria Santíssima e os apóstolos, sob a forma de línguas de fogo. Os apóstolos, até então tímidos e pouco capazes de entender, imediatamente se transformaram em ardentes anunciadores de Jesus e de seus ensinamentos (cf. At 2,1-13).
  4. Assunção gloriosa de Nossa Senhora aos Céus
    A Virgem Maria, alguns anos depois da Ressurreição de seu Filho, foi levada aos Céus, em corpo e alma, pelo mesmo Jesus Cristo, acompanhada de coros de anjos.
  5. Gloriosa Coroação de Nossa Senhora no Céu
    A Virgem Maria foi esplendidamente coroada pela Santíssima Trindade, como Rainha dos anjos e dos homens. É Co-Redentora, Medianeira e Advogada nossa no Céu.

Mistérios Luminosos (de Luz)

Quintas-feiras
  1. Batismo de Jesus no rio Jordão
    Enquanto Cristo desce à água do rio Jordão para ser batizado, o Céu se abre, o Pai o proclama Filho Bem-amado, e o Espírito Santo lhe confere a missão de Redentor da humanidade (cf. Mt 3,13-17; Mc 1,9-11).
  2. Jesus faz seu primeiro milagre nas Bodas de Caná
    O primeiro “sinal” ou milagre de Jesus acontece em Caná, quando Cristo Jesus, transformando a água em vinho, abre à fé o coração dos discípulos, graças à intervenção de Maria (cf. Jo 2,1-11).
  3. Jesus anuncia o Reino de Deus e convida à conversão
    A intensa pregação e os ensinamentos de Jesus anunciam a chegada do Reino de Deus e o tempo da divina Graça e da Misericórdia, convidando-nos à conversão.
  4. Jesus se tranfigura
    A Transfiguração representa o Mistério de Luz. A Glória da Divindade transparece no rosto de Jesus. Os apóstolos ouvem a voz do Pai: “Eis o meu Filho muito amado. Ouvi-o” (cf. Mt 17,1-13; Mc 1,12).
  5. Jesus institui a Eucaristia
    Na Eucaristia – testemunho emocionante de seu Amor -, Jesus se oferece em sacrifício por nós ao Eterno Pai e se faz nosso alimento, doando-nos o seu Corpo e o seu Sangue (cf. Mc 14,22-25; Lc 22,15-20).

Agradecimento

Infinitas graças vos damos, soberana Rainha, pelos benefícios que todos os dias recebemos de vossas mãos maternais. Dignai-vos, agora e sempre, tomar-nos sob o vosso poderoso amparo. E, para melhor expressarmos o nosso agradecimento, vos saudamos com uma Salve-Rainha…

Salve, Rainha! Mãe de misericórdia, vida, doçura e esperança nossa, salve! A vós bradamos, os degredados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas. Eia, pois, Advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei. E, depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce sempre Virgem Maria!

Rogai por nós, Santa Mãe de Deus, par que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém!

O golpe do Rosário tinha sido o golpe de misericórdia

No século XVII, na Inglaterra, os católicos eram submetidos a uma sangrenta perseguição. O Padre João Ogilvie foi julgado em Glasgow, Escócia, no dia 15 de outubro de 1614, por ter afirmado que, no domínio espiritual, o Papa estava acima do Rei.

Condenado à morte, passou todo o tempo no cativeiro sem nada perder da sua alegria e de suas brincadeiras costumeiras. Após ter sido torturado, foi conduzido ao cadafalso no dia 10 de março de 1615, quando renovou sua fidelidade ao Rei, no domínio temporal, e declarou que morreria por sua fidelidade ao Papa.

No patíbulo, pronto para ir ao encontro da morte, repentinamente, pegou o terço lançando-o à multidão. O terço atingiu em cheio o peito de um calvinista húngaro que estava de passagem por Glasgow: este era o notável Johan von Echesdoff, que se converteu ao catolicismo, logo após esta passagem. O golpe do Rosário tinha sido o golpe da Graça.

Escocês, jesuíta, mártir na Escócia, em 1615, João Ogilvie era Congregado Mariano no Colégio dos Jesuítas, em Olmutz, Lovaina, Bélgica. John Ogilvie foi canonizado pelo Papa Paulo VI, em outubro de 1976.

Florilégio mariano 1979

E também em: www.mariedenazareth.com

Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco.
Bendita sois Vós entre as mulheres, bendito é o fruto de Vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte.
Amém.

Sozinha, com o rosário na mão, ela resistiu até o retorno dos missionários

No interior do sepulcro “familiar” dos missionários católicos de Madagascar, encontrava-se uma placa mural indicando a presença da ossada da beata Vitória Rasoamanarivo. Só foi possível reconhecê-la, entre seus pais, protestantes, enterrados no mesmo jazigo, por meio do terço que estava entre as suas mãos, o que permitiu fosse trasladada para Ambohipo (bairro de Antananarivo).

A beata Vitória Rasoamanarivo nasceu em 1848, na capital de Madagáscar, Antananarivo, situada no centro da ilha. Entre 1828 e 1861, esta área de Madagáscar era governada por Ranavalona I, viúva de Radama I, astuta e poderosa rainha. O seu primeiro ministro era Rainiharo, avô da beata Vitória.

Com a idade de 15 anos, Vitória foi batizada na Igreja Católica e casou-se aos 17. Permaneceu católica mesmo quando, sob a influência dos protestantes, os missionários católicos franceses foram expulsos da ilha. Vitória reagiu às pressões para se tornar protestante. A partir da sua posição, como parente da família real, tornou-se protetora dos católicos. Conseguiu que as escolas e as igrejas católicas permanecessem abertas; deu coragem aos católicos do campo enviando-lhes mensageiros; intercedeu diretamente por eles junto à rainha e ao primeiro ministro.

Ela passava seis a sete horas por dia em oração e realizava obras de caridade pelos pobres e abandonados, pelos prisioneiros e pelos leprosos. Em 1894, morreu com a idade de 46 anos. O Papa São João Paulo II a beatificou, em 30 de abril de 1989.

Notre Dame des Temps Nouveaux, Janvier-février (Nossa Senhora dos Novos tempos, janeiro-fevereiro),1973

Nossa Senhora do Rosário

Um exército com o Rosário nas mãos!

Pode parecer uma das armas mais inadequadas porém, para o católico que crê na intervenção do sobrenatural, o Rosário já se demonstrou historicamente como uma arma de eficácia extraordinária.

É o que nos recorda o Santo Padre o Papa Leão XIII na encíclica Supremi Apostolatus Officio(01/09/1883). Seja contra a heresia, seja contra as armadas inimigas, Nossa Senhora do Rosário demonstrou-se grande Auxiliadora dos Cristãos e a Mãe que conduz seus filhos à Vitória.

Clique aqui para ler a Encíclica Supremi Apostolatus Officio do papa Leão XIII

Fonte: Padre Paulo Ricardo

Página 1 de 2

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén