Seguir Jesus significa nadar contra corrente, assegura Bento XVI

Suas palavras continuam escandalizando as modas de pensamento, constata

CASTEL GANDOLFO, domingo, 23 de agosto de 2009 (ZENIT.org).- Bento XVI considera que seguir Jesus Cristo hoje em dia significa nadar contra a corrente de muitas das modas de pensamento.

“Segui-lo enche o coração de alegria e dá sentido pleno à nossa existência, mas comporta dificuldades e renúncias, pois com muita frequência é preciso nadar contra a corrente”, afirmou neste domingo.

As palavras do Papa ressoaram ao meio-dia no pátio da residência de Castel Gandolfo, por ocasião do Ângelus, no encontro semanal com os peregrinos.

Na acostumada alocução, o pontífice refletiu sobre a passagem do Evangelho da liturgia deste dia, em que Jesus, ao apresentar-se como “o pão vivo que desceu do céu”, escandaliza não somente os curiosos que o escutavam, mas inclusive seus próprios discípulos.

“Esta palavra é dura. Quem consegue escutá-la?”, comentam alguns dos que até então o seguiam, antes de abandoná-lo.

“Esta pergunta provocadora não se dirige somente aos que o escutavam então, mas alcança os crentes e os homens de todas as épocas”, assegurou o pontífice.

“Também hoje, muitos se ‘escandalizam’ diante do paradoxo da fé cristã. O ensinamento de Jesus parece ‘duro’, difícil demais de acolher e de praticar”, acrescentou.

“Então – comentou –, existem aqueles que rejeitam e abandonam Cristo; existem aqueles que tentam ‘adaptar’ sua palavra às modas, desvirtuando seu sentido e valor.”

Segundo o bispo de Roma, “esta inquietante provocação ressoa no coração e espera de cada um uma resposta pessoal”.

“Jesus, de fato, não se contenta com uma pertença superficial e formal; não lhe basta uma primeira adesão entusiasta; é necessário, pelo contrário, participar durante a vida toda do seu ‘pensar e querer’.”

Veja tambem  O que é a Eucaristia?

“‘Vós também quereis ir embora?’ À pergunta de Jesus, Pedro responde em nome dos apóstolos: ‘A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. Nós cremos firmemente e reconhecemos que tu és o Santo de Deus’ (v. 68-69).”

O Papa propôs aos crentes que respondessem a Jesus como o apóstolo Pedro: “A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna”.

E convidou a pronunciar esta resposta “conscientes certamente da nossa fragilidade humana, mas confiando na potência do Espírito Santo, que se expressa e se manifesta na comunhão com Jesus”.

“A fé é dom de Deus ao homem e é, ao mesmo tempo, entrega livre e total do homem a Deus; a fé é dócil escuta da Palavra do Senhor, que é ‘lâmpada’ para os nossos passos e ‘luz’ em nosso caminho.”

“Se abrimos com confiança o coração a Cristo, se nos deixamos conquistar por Ele”, podemos experimentar uma das meditações do Santo Cura de Ars, o sacerdote francês falecido há 150 anos, em honra de quem se celebra o Ano Sacerdotal: “Nossa única felicidade nesta terra consiste em amar a Deus e saber que Ele nos ama”.





Livros Recomendados

30 Minutos Para Mudar o Seu DiaA Igreja dos Apóstolos e dos Mártires (Vol. I)O Evangelho de São Mateus – Cadernos de Estudo Bíblico

Apoia-se: Seja um apoiador da Bíblia Católica Online.

Comentários no Facebook:

comments

Anteriores

Os 800 Mártires de Otranto

Próximo

"Caritas in veritate" tem boa acolhida entre protestantes evangélicos

  1. Ricardo Marques

    concordo plenamente com a afirmaçoes do Santo Papa.
    Na sociedade moderna onde o pensamento desprovido de amor e de fé impera e é visto como uma forma de alcançar o sucesso, adorar e seguir a palavra de Cristo assume-se, na óptica destas correntes de pensamento, como um acto fraco. Temos o exemplo de obras que se encontram propagandeadas e analisadas, como por exemplo "A arte da guerra" de Sun Tzu ou "O Principe" de Maquiavel, que defendem atitudes calculistas, desprovidas de amor pelo proximo, argumentando estes actos como uma forma de atingir o sucesso.
    É por esta razão que considero as afirmações do Santo Papa como uma análise realista dos valores da sociedade actual. Excelente análise e um excelente alerta provido de grande actualidade.

  2. luiz onofre pereira

    Realmente, como afirma o próprio Jesus Cristo:"Quem quizer me seguir, renuncie a si mesmo todos os dias, tome a sua cruz e me siga".Infelimente hoje, até mesmo em nossa religião católica – a única fundada pelo próprio Cristo – existem movimentos e pessoas que querem usar a religiosidade num sentido curandeirista e comercial, esquecendo de forma triste o que o Mestre afirma:"Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e tudo o mais vos será dado".(Mt 6,33)

Deixe uma resposta

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén