Papa anula excomunhão de bispos ordenados por D. Lefebvre

DECRETO DA CONGREGAÇÃO PELOS BISPOS

Por meio da carta do dia 15 de dezembro de 2008, dirigida à Sua Eminência, Cardeal Dario Castrillón Hoyos, o presidente da Comissão Pontifical Ecclesia Dei, Dom Bernard Fellay em nome próprio e em nome dos outros três bispos sagrados no dia 30 de junho de 1988, solicitava novamente o levantamento da excomunhão latae sententiae formalmente declarada pelo Decreto do Prefeito desta mesma Congregação para os Bispos na data de 1 de julho de 1988.

Na carta anteriormente mencionada, Dom Fellay afirmava, entre outras coisas:

“Nós estamos também aferrados à vontade de permanecer católicos e de pôr todas as nossas forças a serviço da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, que é a Igreja Católica Apostólica Romana. Nós aceitamos seus ensinamentos filialmente. Nós cremos firmemente no Primado de Pedro e nas suas prerrogativas e é por isso que a situação atual nos faz sofrer tanto”.

Sua Santidade Bento XVI – paternalmente sensível ao mal estar espiritual manifestado pelos interessados por causa da sanção de excomunhão e confiando no compromisso expressado por eles na carta citada de não poupar nenhum esforço para aprofundar nas necessárias conversações com as Autoridades da Santa Sé sobre as questões ainda abertas, e de poder deste modo chegar rapidamente à uma plena e satisfatória solução do problema posto na origem – decidiu reconsiderar a situação canônica dos Bispos Bernard Fellay, Bernard Tissier de Mallerais, Richard Williamson e Alfonso de Galarreta relativa à sua sagração episcopal.

Este ato expressa o desejo de consolidar as relações recíprocas de confiança, de intensificar e de tornar estáveis as relações da Fraternidade São Pio X com a Sé Apostólica. Este dom de paz, no fim das celebrações do Natal, quer ser também um sinal para promover a unidade na caridade da Igreja Universal e, deste modo, retirar o escândalo da divisão.

Veja tambem  O que significa a virgindade de Maria?

Desejando que este passo seja seguido sem demora da pela comunhão com a Igreja de toda a Fraternidade São Pio X, em testemunho de uma verdadeira fidelidade e de um verdadeiro reconhecimento do Magistério e da autoridade do Papa pela prova de uma unidade visível.

Conforme as faculdades que me foram expressamente concedidas pelo Santo Padre o Papa Bento XVI, em virtude do presente Decreto, eu levanto aos Bispos Bernard Fellay, Bernard Tissier de Mallerais, Richard Williamson e Alfonso de Galarreta a censura de excomunhão latae sententiae declarada por esta Congregação no dia 1 de julho de 1988, do mesmo modo que declaro sem efeitos jurídicos, a partir de hoje, o Decreto publicado naquela época.

Roma, da Congregação para os Bispos, dia 21 de janeiro de 2009
Card. Giovanni Battista Re
Prefeito da Congregação pelos Bispos

Texto original: Italiano, traduçao DICI http://www.dici.org
Fonte: site do Vaticano em http://212.77.1.245/news_services/bulletin/news/23251.php?index=23251&lang=it ]




Comentários no Facebook:

comments

Anteriores

Diálogo com anglicanos e metodistas continua apesar das dificuldades

Próximo

Bento XVI defende Concílio Vaticano II e condena negacionismo antissemita

6 Comentários

  1. Tecla Maria de Santa

    Com certeza a pessoa que fica sem receber a santa eucaristia, não pode ser feliz. Com relação aos bispos acima mencionados, que foi declarada nula a excumunhão, e que eles declaram seguir os ensinamentos da Igreja, só deve ser motivo de alegria, uma vez que a comunhão dá força, coragem, luz, sabedoria e muito mais. Parabens Bento XVI pelo seu perdão.

  2. Manoel Raymundo Dumo

    Parabens ao nosso querido e Santo Papa Bento XVI, com este ato, demonstra a verdadeira Igreja fundada Por Nosso Senhor Jesus Cristo, ou seja, uma Igreja Universal e sem divisões.

    Manoel

  3. Renato Oliveira

    Será mesmo um ato de misericórdia? Ou será que por detrás deste ato consista em um outro propósito que talvez só saibamos daqui a algum tempo? Só com um tempo saberemos estas respostas!

  4. Pedro Erisson

    !! MARAVILHOSA IGREJA CATÓLICA !!
    Ao passo que lia essa notícia meu olhos se enchiam de lágrimas ao ver o que os Bispos até então excomungados escreveram em carta…sofrimento…por estar longe da Igreja Una Santa Católica e Apostólica, ao mesto tempo me fazia lembrar do saudoso São Pio, que tbm sofreu ao extremo quando foi proibido de celebrar a Santa Missa (que era a sua vida)….Lindo,Lindo,Lindo!!!
    É essa mesma convicção que devemos ter irmãos, e lutar emm defesa do verdaeiro depósito da Fé.

    "Onde está Pedro, está também a Igreja, onde está a Igrea, ai está Cristo (…)"

    (Padres da Igreja primitiva)

  5. Pe. Robson Prati

    Parabéns. O Santo Padre o papa sabe realmente o que é melhor para a nossa Igreja. Ele como chefe da Igreja, pela tradição apostólica tem que ser o homem da comunhão, e isto provou mais uma vez a sua inteligência acerca desta possibilidades de nossos irmãos afastados. A comunhão deve ser o elo da Igreja.

  6. isadora tannembaum

    Não pertenço a esta comunidade, a única coisa que pertenço na Igreja Católica é a Legião de Maria como membro auxiliar, pois assim a TL não pode me provocar.
    Mas, estou muito feliz pelo evento, parabens!
    Espero que o Papa aprove toda a ala tradicionalista. Espero que nenhum tradicionalista seja integrista, antissemita.
    Que Deus nos abençoe através de Seu Papa!
    Isadora, ancilla servorum Dei.

Deixe uma resposta

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén