Quando um homem se humilha por causa dos seus defeitos, acalma os outros facilmente e satisfaz sem custo os que consigo se iravam.
Deus protege e liberta o humilde, ama-o e consola-o.
Inclina-Se para ele e dá-lhe grande graça; e, depois do seu abatimento, eleva-o à glória.
Revela os seus segredos ao humilde, arrasta-o e convida-o docemente para Si.
E ele, mesmo na confusão, vive em paz, porque se firma em Deus e não no mundo. […]

Mantém-te tu em paz; e só então poderás pacificar os outros.
O homem pacífico é mais útil do que o muito instruído.
O apaixonado, porém, converte o bem em mal e acredita facilmente neste.
O homem bom e pacífico converte todas as coisas em bem.
Aquele que está verdadeiramente em paz não suspeita mal de ninguém.
Mas o que é descontente e inquieto é agitado por várias suspeitas.
Nem descansa, nem deixa descansar os outros.
Diz muitas vezes o que não devia dizer e omite fazer o que devia.
Preocupa-se com o que os outros têm de fazer, mas desleixa o que lhe compete.
Tem, antes de tudo, cuidado contigo, e poderás então zelar pelo teu próximo.




Comentários no Facebook:

comments