Dou graças ao Autor da graça, Àquele de quem provém todo o bem e toda a perfeição, por te ter ornado com tantas virtudes e dotado de tantas perfeições, por te teres tornado imitadora atenta e perfeita do Pai que é perfeito, a ponto de os seus olhos não conseguirem discernir em ti imperfeição alguma. Ei-la, esta perfeição que, no palácio dos céus, selará a tua união com o próprio Rei, que tem a sua sede na glória, num trono estrelado; e esta perfeição consistiu, no teu caso, em desprezar as grandezas de um reino terreno; em julgar indigna, por comparação, a proposta de casamento com o imperador; em praticar a santíssima pobreza e, com o impulso do teu amor e da tua humildade, seguir as pegadas daquele para cujas núpcias mereceste ser convidada.

Sei que estás adornada de virtudes, mas não quero importunar-te sobrecarregando-te com louvores supérfluos, ainda que, para ti, nada seja supérfluo se puderes retirar disso alguma consolação. Ora, uma vez que uma só coisa é necessária (cf Lc 10,42), limitar-me-ei a ela, exortando-te, por amor Àquele a quem te ofereceste como hóstia santa e agradável: lembra-te da tua vocação e, qual segunda Raquel, tem sempre na memória os princípios de base que te fazem agir: guarda cuidadosamente aquilo que adquiriste; faz bem aquilo que fazes; nunca recues; pelo contrário, apressa-te e corre com passo ligeiro, sem tropeçares nas pedras do caminho, sem sequer levantares a poeira que te mancharia os pés; avança confiante, alegre e jubilosa. Mas segue com precaução pelo caminho da felicidade, sem te fiares nem te entregares a quem queira desviar-te da tua vocação, entravar-te o caminho e impedir-te de seres fiel ao Altíssimo no estado de perfeição para o qual o Espírito do Senhor te chamou.





Livros Recomendados

Falar com Deus – Vol IIIDora del Hoyo – Uma Luz Humilde e ResplandecenteO Liberalismo é Pecado

Apoia-se: Seja um apoiador da Bíblia Católica Online.

Comentários no Facebook:

comments