«Quem se humilha será exaltado e quem se exalta será humilhado» (Mt 23,12). […] Imitemos o Senhor, que desceu do Céu até à humilhação mais profunda e que, em recompensa, foi exaltado até às alturas que Lhe convinham. Descubramos tudo o que o Senhor nos ensina para nos conduzir à humildade.

Ainda menino, ei-lo já numa gruta, e não está deitado num berço mas numa mangedoura. Em casa de um operário e de uma mãe sem recursos, submeteu-Se à mãe e a seu esposo. Deixando-Se ensinar, escutando aqueles de quem não tinha precisão, fazia perguntas; mas de tal forma que, pelas suas interrogações, as pessoas se espantavam com a sua sabedoria. Submeteu-Se a João e o Senhor recebeu o batismo das mãos do servo. Nunca resistiu aos que se erguiam contra Ele e não exibiu o seu poder invencível para Se libertar das mãos que O prenderam; mas deixou-Se levar como se fosse impotente e, na medida em que Lhe pareceu bem, entregou-Se nas mãos de um poder efémero. Compareceu diante do sumo-sacerdote na qualidade de acusado; conduzido diante do governador, submeteu-Se ao julgamento deste e, quando podia responder aos caluniadores, suportou em silêncio as calúnias. Coberto de escarros por escravos e vis criados, foi enfim entregue à morte, a uma morte infamante aos olhos dos homens.

Assim se desenrolou a sua vida de homem, desde o nascimento até ao fim. Mas, depois de tal humilhação, fez brilhar a sua glória. […] Imitemo-lo, para chegarmos, também nós, à glória eterna.


Livros recomendados

365 Dias Com a Divina MisericórdiaAs Cartas de São Paulo aos Gálatas e aos Efésios – Cadernos de estudo bíblicoCatólicos, Voltem para Casa





Comentários no Facebook:

comments