O Pastor mostrou-me uma montanha onde as ervas eram verdes e viçosas; tudo estava florescente, e os rebanhos e os pássaros encontravam aí o seu alimento. Ele disse-me: «Os crentes daqui são simples, inocentes, felizes, sem qualquer ressentimento uns contra os outros, mas, pelo contrário, alegres servidores de Deus. Revestidos do santo espírito das virgens, cheios de compaixão por todos os homens, proveem, com o suor do seu rosto, às necessidades de todos os seus semelhantes, sem murmurações nem hesitação. Vendo a sua simplicidade e toda a sua candura infantil, o Senhor fez prosperar o trabalho das suas mãos e abençoou todas as suas empresas. […] Todos vós que agis assim, permanecei desse modo, e a vossa prosperidade não desaparecerá jamais» […]

Depois, ele mostrou-me uma bela montanha toda branca: «Aqui os crentes assemelham-se às criancinhas que não têm qualquer ideia do que é o mal; como elas, nunca souberam o que é a maldade, mas guardaram sempre a inocência da infância. Esses homens irão seguramente habitar no reino de Deus, porque não violaram os mandamentos de Deus, mas perseveraram todos os dias da sua vida na candura e nos sentimentos da sua infância. Todos vós que perseverais nesta via sereis “como criancinhas”, sem malícia, sereis glorificados mais que todos os outros, porque as criancinhas são gloriosas diante de Deus e os primeiros a seus olhos. Bem-aventurados, pois, todos vós que afastardes a malícia para vos revestirdes de inocência; primeiro que todos os outros, vivereis para Deus. »





Livros Recomendados

Tudo, Menos DeusComo Preparar-se Bem para ComungarPassagem de Calabar

Apoia-se: Seja um apoiador da Bíblia Católica Online.

Comentários no Facebook:

comments