Bendito seja o Senhor,
o rochedo do meu refúgio,
que adestra as minhas mãos para a luta
e os meus dedos para o combate.
O Senhor é meu amparo e minha cidadela,
meu baluarte e meu libertador.
Ele é meu escudo e meu abrigo
e submete os povos ao meu poder.
Hei de cantar-Vos, meu Deus, um cântico novo,
hei de celebrar-Vos ao som da harpa,
a Vós que dais aos reis a vitória
e salvastes David, vosso servo.


Livros recomendados

O Dom da CuraA Conjuração Anticristã – O Templo Maçônico Que Quer Se Erguer Sobre As Ruínas da Igreja CatólicaA Fé Explicada





Comentários no Facebook:

comments