Meu bem-amado Redentor, eis o meu coração, que integralmente Te dou; já não é meu, mas teu. Ao entrares no mundo, ao Pai Eterno ofereceste e deste toda a tua vontade, como nos ensinas pela boca de David: «No livro da Lei está escrito aquilo que devo fazer. Esse é o meu desejo, ó meu Deus» (Sl 39,8-9). De igual modo, meu bem-amado Salvador, ofereço-Te hoje toda a minha vontade. Outrora foi-Te rebelde, e eu ofendia-Te através dela. Hoje, lamento de todo o coração aquilo em que a despendi, os imensos erros que miseravelmente me privaram da tua amizade. De tudo isso me arrependo profundamente, e sem reservas a Ti consagro esta vontade.

«Que hei-de fazer, Senhor?» (At 22,10). Senhor, diz-me o que queres de mim: estou pronto a fazer tudo o que desejares. Dispõe de mim e do que me pertence como Te agradar: tudo aceitarei, em tudo consentirei. Sei que procuras para mim o maior dos bens: «Nas tuas mãos entrego o meu espírito» (Sl 30,6). Ajuda, por misericórdia, este espírito, conserva-o, faz que ele seja sempre teu e só teu, pois Tu «resgataste-o, Senhor, Deus verdadeiro», pelo preço do teu sangue (Sl 30,6).


Livros recomendados

A Fé da Igreja – Em que Deve Crer o Cristão de HojeA ConfissãoAs Cartas de São Paulo aos Coríntios – Cadernos de Estudo Bíblico





Comentários no Facebook:

comments